Prefeito do Rio faz momentos de oração contra coronavírus Antes mesmo de o presidente Jair Bolsonaro convocar o Dia Nacional de Jejum e Oração, o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, já tem feito momentos de intercessão em vídeos publicados em suas redes sociais. Crivella tem pregado a união de todos em favor da saúde das nações.

"Eu gostaria de convidar católicos, espíritas, evangélicos, e até quem não tem religião para, nesse momento, fecharmos os olhos, mas abrirmos o coração", diz o prefeito Marcelo Crivella nos primeiros instantes de um de seus vídeos.

Na gravação, com pouco menos de dois minutos, Crivella explica que é um momento de oração devido à Covid-19 que acomete o Brasil e tantos outros países. Ajoelhado, ele não fala o nome do novo vírus, referindo-se a ele como "essa doença", ao rogar a Deus para que a leve embora.

Crivella também pede por um milagre. Antes, diz "para que poucas pessoas tenham realmente problemas, para que possamos vencer essa contaminação e sairmos até mais fortes do que entramos".  O vídeo tem imagens do prefeito fazendo sua oração e trechos com música e imagens de pessoas orando, algumas em círculo e de mãos dadas.

Secretários contaminados

Exames realizados pela Prefeitura mostram que três secretários municipais próximos a Crivella (Republicanos), foram contaminados pelo coronavírus. A secretária de Assistência Social, Tia Ju, o secretário de Educação, Adolfo Konder e a ex-secretária de Educação Talma Suane estão com covid-19 —Suane se desligou sexta-feira (03) do cargo, já que pretende se candidatar nas eleições desse ano, mas integrava o gabinete de crise montado por Crivella.

De acordo com a Prefeitura, no entanto, Crivella não contraiu a doença. Todos os integrantes do secretariado foram submetidos ao exame na última terça-feira (31), depois de a secretária de Saúde, Beatriz Busch ter tido resultado positivo para o novo coronavírus. O subsecretário de Saúde Jorge Darze também foi infectado. Todos os citados estão isolados.