Bombeiros levam música à população do Rio em quarentena Inspirado numa iniciativa alemã durante esta quarentena, o Corpo de Bombeiros do Rio vem realizando, desde o dia 29 de março, apresentações em alguns pontos da cidade: praia de Copacabana, Lagoa, Praia Vermelha, Quartel Central da corporação e na Zona Oeste, por exemplo.

Do alto da escada mecânica, um bombeiro músico interpreta obras que traduzem a alma do povo carioca, fluminense, brasileiro. Cidade Maravilhosa, Samba do Avião, Aquarela do Brasil e Hino Nacional foram algumas das canções executadas a cerca de 50 metros de altura.

Orientada a não sair nas ruas, a população curtiu o som das janelas dos edifícios próximos.

A ação tem como objetivo acalentar a alma e levantar o astral em tempos tão difíceis e, ao mesmo tempo, lembrar que os bombeiros estão sempre perto dos cidadãos. Sempre a postos para servir a sociedade.

“A ação teve inspiração no Corpo de Bombeiros de Düsseldorf. Estamos habituados com as praias e as ruas cheias. A tristeza não pode ter vez. E as pessoas devem continuar em casa. Então, resolvemos surpreender ao som de músicas apreciadas pela sociedade. Uma maneira de se comunicar com a população a quem servimos e também de reforçar que estamos sempre a postos”, disse co secretário de Estado de Defesa Civil e comandante-geral coronel Roberto Robadey Jr.

Elielson dos Santos, de 38 anos, subtenente-músico do Corpo de Bombeiros desde os 18, é o responsável por levar esta alegria aos moradores do Rio de Janeiro.

Ele conta que o momento do vídeo, gravado na Barra da Tijuca na última segunda-feira (30), foi o mais emocionante desde que começaram as ações do Corpo de Bombeiros para levar alento e música durante a quarentena motivada pela pandemia da Covid-19.

Segundo ele, a reação dos moradores de prédios próximos em quarentena quando ele começa a tocar tem sido ótima.

“A recepção do povo carioca tem sido algo assim, fantástico. Poder levar música, um pouco de alento na alma das pessoas que estão cumprindo a quarentena em casa tem sido uma experiência fantástica na minha vida como músico”, relatou o subtenente do Grupamento de Bombeiros Músicos.