Publicidade

Engenheiros da Mercedes desenvolvem respiradores para pacientes com coronavírus A Mercedes, principal escuderia da Fórmula 1, anunciou que conseguiu desenvolver um respirador para ser utilizado por pacientes infectados com coronavírus. O feito foi realizado em somente cinco dias, num trabalho conjunto com a Universidade College de Londres; o aparelho já recebeu a aprovação do Reino Unido.

O projeto é uma iniciativa das equipes de Fórmula 1 para atender a demanda para a produção de mais equipamentos médicos. O objetivo é contar com a capacidade das escuderias em áreas como design, conhecimento na confecção de protótipos e a experiência em testes e montagem para encontrar uma forma de atender os pacientes atingidos pela pandemia.

A equipe tricampeã mundial de Lewis Hamilton fabricou em tempo recorde um dispositivo de assistência respiratória que permite aliviar os pulmões de alguns afetados pela Covid-19, permitindo assim reservar respiradores para os pacientes mais graves. Além disso, poderá fabricar 1.000 unidades por dia.

O "Projeto Pitlane" reúne outras equipes como Red Bull, McLaren, Williams, Racing Point, Haas e Renault para colaborar na fabricação deste tipo de equipamento.

A ideia é colocar a serviço da causa as características de uma escuderia de F1, como "a capacidade de projetar rapidamente, ajustar um protótipo e montagem meticulosa", indica a apresentação do "Projeto Pitlane".