Publicidade

Bolsonaro vai às ruas conversar com informais O presidente Jair Bolsonaro esteve neste domingo (29) em Ceilândia e Taguatinga, cidades satélites de Brasília, para, segundo ele, ouvir diretamente da população sobre o impacto da quarentena em suas rotinas. Ele queria ver como estão os trabalhadores informais, um dos mais afetados pelo desemprego.

Logo após falar com populares, Bolsonaro publicou um vídeo em que fala sobre a visita e citou as decisões tomadas por líderes do G-20 na última semana:

1. Proteger vidas.
2.Salvaguardar os empregos e a renda das pessoas.
3.Restabelecer a confiança.
4.Minimizar interrupções no comércio.

“Com muita responsabilidade estamos cumprindo também a agenda do G-20”, disse Bolsonaro.

Na visita ao comércio de Taguatinga, Bolsonaro foi cercado por jornalistas que questionaram porquê o presidente estava na rua, se a orientação é para que todos fiquem em casa. O presidente prontamente respondeu com outra pergunta: “E o que vocês estão fazendo na rua?”. Os jornalistas responderam que estavam trabalhando, ou seja, o mesmo que Bolsonaro e os comerciários estavam fazendo ali.

O presidente chegou a se emocionar com uma senhora que o abordou para dizer que ficou sem renda desde que a quarentena foi imposta e que não sabia o que fazer para pagar suas próximas contas de luz e água e ainda botar comida dentro de casa.

Bolsonaro instituiu o “coronavoucher” um auxílio de R$ 600,00 aos trabalhadores informais que já foi aprovado pela Câmara dos Vereadores e esta semana passará pelo Senado.