Vítima de coronavírus, corpo de Daniel Azulay não terá velório O coronavírus tirou a vida de mais um talento. Nesta sexta-feira (26), a vítima foi o desenhista brasileiro Daniel Azulay.

O educador e artista plástico lutava contra a leucemia e contraiu a covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus.

Azulay estava internado há duas semanas no CTI da Clínica São Vicente, na Gávea, zona sul carioca.

"Com extremo pesar, comunicamos que nosso querido Daniel Azulay faleceu hoje (26) à tarde no Rio de Janeiro. Ele estava tratando uma leucemia e contraiu coronavírus. Sua alegria continuará em todos nossos corações para sempre. Faremos rezas virtuais para ele nos próximos dias em virtude do isolamento. Daniel, Te amamos". Este recado foi escrito nas páginas de Daniel nas redes sociais.

Daniel Azulay fez sucesso principalmente nas décadas de 1970 e 1980 com a Turma do Lambe-Lambe quando apresentou, ao lado de seus personagens, um programa de TV que ensinava técnicas de ilustração e dava dicas de como construir brinquedos com lixo doméstico.

Ao longo da carreira, o artista também se envolveu em vários projetos sociais e de conscientização.

Em 2014, por exemplo, Azulay criou "Soprinho e sua Turma", personagens infantis da Operação Lei Seca do RJ. Soprinho é um bafômetro simpático e falante que, através de histórias bem-humoradas ao lado de seus amigos, alerta e conscientiza as crianças sobre os problemas causados sobre a mistura de álcool e direção.

Até hoje, estes personagens são usados em ações educativas da Lei Seca para o público infantil.

Daniel Azulay deixa a mulher, Beth, com quem foi casado por mais de 35 anos, a filha Paloma e o neto Baruck.