Unigrejas defende abertura das igrejas mesmo sem culto

Diante da proibição de realizar missas e cultos em São Paulo e no Rio de Janeiro, algumas igrejas optaram pelas transmissões online para não desamparar os fiéis, mas garantem que os templos permanecerão abertos ao público que necessitar de atendimento espiritual. Esta foi a linha adotada pelo pastor Silas Malafaia, líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, seguindo o que pensa a Unigrejas (União Nacional das Igrejas e Pastores Evangélicos).



A Unigrejas afirmou que as autoridades brasileiras precisam compreender "que a Igreja é aquele lugar onde muitas pessoas chegam desesperadas, em busca de uma ajuda urgente".



Em nota, o presidente da Unigrejas, Bispo Eduardo Bravo, explica que "as igrejas reacendem a esperança na população, sentimento crucial neste momento para que as pessoas não se sintam desesperadas, em pânico". Por isso, continua o Bispo, "é preciso manter os templos e espaços religiosos abertos, mesmo que reduzido número de cultos e limitando a frequência".



Leia a nota oficia da Unigrejas:



"É importante que as nossas autoridades compreendam que a Igreja é aquele lugar onde muitas pessoas chegam desesperadas, em busca de uma ajuda urgente.

Nos últimos dias, não foram poucas as pessoas que chegaram completamente desorientadas nas igrejas: tomadas pelo pânico, com medo da morte, das notícias dos últimos dias. Completamente tomadas pelo pavor.

Quando alguém neste estágio procura uma Igreja e encontra as portas abertas, o pastor, o líder religioso que está ali, pronto para atendê-la, usa a Palavra de Deus, que tem o poder de neutralizar o medo, o pânico. E, na hora, essa pessoa já recebe o alívio, a paz, e consegue sair dali diferente.

Ainda que permaneça na igreja por um breve tempo, mas  esse contato com a fé, com a Palavra de Deus, é crucial.

Segundo o Instituto Datafolha, o Brasil possui 69 milhões de evangélicos. Falo em nome do UNIGREJAS -União Nacional das Igrejas e Pastores Evangélicos --, que reúne mais de 30 mil pastores de diferentes denominações, e afirmo que cada líder está comprometido com a causa do Brasil.

Pelo bem estar do povo brasileiro, é necessário que nossas autoridades vejam em cada igreja, em cada líder religioso, um aliado neste momento tão delicado.

Nós temos nos reunido com as autoridades deste país para ouvir, receber orientações. Mas também temos passado relatos valiosos para os órgãos governamentais, contribuindo para que a cada qual faça sua parte no esforço coletivo para conter a propagação do coronavírus.

Sabemos que unidos conseguiremos virar essa página.

Os membros das igrejas ouvem a voz do seu líder espiritual. E cada líder, cada pastor pode ser um porta voz das autoridades, pois nosso povo nos ouve.

Os governantes precisam trazer os líderes religiosos para perto de si e trabalharem em parceria.

As igrejas reacendem a esperança na população, sentimento crucial neste momento para que as pessoas não se sintam desesperadas, em pânico.

É preciso manter os templos e espaços religiosos abertos, mesmo que reduzido número de cultos e limitando a frequência.

Naquelas localidades onde a decisão das autoridades seja de proibir qualquer tipo de celebração religiosa, é imperioso manter as igrejas de portas abertas para receber os desesperados, os exaltados, os desenganados que precisem de um atendimento urgente.

Nestes tempos, as igrejas serão fundamentais para manter a paz social em nosso país.

A proximidade das pessoas com a igreja é algo essencial.



Bispo Eduardo Bravo

Presidente da UNIGREJAS"



Veja a situação das igrejas pelo mundo:

Suíça — Não permite fazer reuniões e parte das igrejas está com as portas fechadas.

Holanda — Até agora, é permitido fazer reuniões para até 100 pessoas, sempre e quando as pessoas possam ficar a distância mínima de 1,5m entre si.

Malta — As cerimônias estão proibidas, mas as igrejas seguem abertas. Os fiéis podem entrar para o seu momento de oração.

Cabo Verde — Cultos, missas e cerimônias religiosas estão suspensos, mas as igrejas continuam abertas.

Bélgica — Quarentena continua, a polícia controla as ruas para as pessoas não as pessoas saírem sem necessidade e os mercados já não aceitam dinheiro em pagamento, só cartão, uma vez que o dinheiro é transmissor do novo coronavírus. As igrejas, porém, podem abrir, mas não podem fazer cerimônias. Os fiéis podem entrar, um de cada vez, para fazer suas orações.

Guadalupe — As reuniões estão vetadas, mas as igrejas e templos seguem abertas. Durante o dia, as pessoas podem entrar para fazer a sua oração.

França — As restrições seguem rígidas no país, mas as igrejas podem permanecer abertas, desde que sem cerimônias e aglomeração de pessoas. Os fiéis entram e saem num intervalo médio de 5 minutos. A polícia tem visitado algumas igrejas.

Suécia — Estão permitidos cultos, missas e cerimônias religiosas com até 500 pessoas, desde que respeitada a distância de 1 metro entre as pessoas.

Noruega — Todos os eventos religiosos foram cancelados.

Luxemburgo — Não é permitido fazer reuniões e as portas estão fechadas. A polícia pode aplicar multas se os templos abrirem.

Finlândia — Igrejas seguem abertas e a lei permite reunir até 10 pessoas.

Chipre — Igrejas estão abertas e podem receber até 75 pessoas nas reuniões.

Itália — As igrejas estão abertas até às 18h, mas o governo limitou a entrada de pessoas a 2 por vez (dependendo do tamanho da igreja, somente uma por vez). Os fiéis têm até 5min para ficar dentro do templo.

Turquia — governo mandou fechar todas as igrejas.

Guiné-Bissau — Não permite fazer reuniões, mas as portas da igrejas ficam abertas para os membros fazerem suas orações.

Portugal — Não é permitido culto, mas não mandaram fechar as Igrejas, salvo em alguns locais.

Alemanha — Eventos religiosos não estão autorizados, mas o governo não mandou fechar as igrejas.

Bulgária — Não é permitido nenhum tipo de aglomeração de pessoas e as igrejas estão fechadas.

Bielorrússia — Não tem nenhuma providência tomada até agora. Não tem nenhum evento cancelado. As igrejas continuam a funcionar, assim como escolas e faculdades.

Cazaquistão — As igrejas não podem fazer cerimônias e receber pessoas. As reuniões com os fiéis estão sendo feitas pela internet.

Ucrânia — Em Kiev e nas cidades vizinhas, o governo proibiu juntar as pessoas e fazer reunião, mas as portas das igrejas podem ficar abertas. Nas outras cidades, as cerimônias religiosas estão limitadas a até 10 pessoas.

Lituânia — Não se poder fazer cultos, mas a igreja está aberta para as pessoas fazerem as suas orações individuais.

Armênia — As portas das igrejas estão abertas e o governo permitiu juntar grupos de até 20 pessoas.

Moldávia — Está proibido fazer reuniões, mas não tem um veto de as pessoas entrarem na igreja para fazer suas orações individualmente.

Rússia — As reuniões são limitadas a até 50 pessoas, mas as portas seguem abertas desde que os fiéis sigam as recomendações de higiene. Há uma sugestão das autoridades para cerimônias online.

Romênia — Em estado de alerta, o governo mandou fechar as portas de todas as igrejas, sendo vetadas reuniões. Porém, ainda é permitido fazer reuniões ao ar livre com no máximo 100 pessoas com distância de 1 metro.

Inglaterra — Mesmo com o alerta vermelho, as portas das igrejas estão abertas para dar assistência às pessoas. As reuniões estão proibidas.

Letônia — As igrejas não podem fazer cultos ou missas, mas estão abertas.

Estônia — As igrejas não podem fazer cultos, mas podem ficar abertas.

Hungria — Não houve proibição de cerimônias religiosas, desde que seja no máximo com 10 pessoas. As igrejas estão abertas.

Polônia — Todas as igrejas podem ficar abertas, só não podem fazer cerimônias com fiéis.