Silas Malafaia suspende cultos presenciais, mas mantém igrejas abertas “O prudente percebe o perigo e busca refúgio; o inexperiente segue adiante e sofre as consequências.” Muitos pastores resolveram seguir o versículo 3 do capítulo 22 de Provérbios e decidiram suspender os cultos presenciais de suas igrejas, migrando para o online. No entanto, alguns ainda insistiam até este sábado em manter as aglomerações de fiéis, contrariando as orientações das autoridades de saúde sobre prevenção ao coronavírus. Um deles era o pastor Silas Malafaia, que chegou a enfrentar o Ministério Público do Rio de Janeiro na Justiça, mas finalmente resolveu ceder.

Em vídeo publicado neste sábado (21) nas redes sociais, Malafaia informou que irá interromper as reuniões com fiéis diante do avanço do novo coronavírus e que, também por causa da epidemia, ampliará o horário de funcionamento de seus templos.

“Eu disse que (havia) três motivos para eu poder parar os cultos nas igrejas. Um, decreto de estado de emergência, né? Aí tem que parar. Dois, redução drástica de ônibus e de transporte. Três, redução judicial. O Ministério Público tentou impedir o meu culto aqui, mas o juiz não deu. Mas agora o governador e o prefeito estão reduzindo drasticamente circulação de transporte. Isso está acontecendo em várias cidades do Brasil. Então, eu vou suspender os meus cultos. Mas tem uma coisa: eu vou ampliar a hora de igreja aberta, que igreja aqui não vai ficar fechada, não”, afirmou Malafaia.

A intenção do pastor é receber fiéis que precisem de amparo em meio à crise.

“A igreja vai ficar aberta mais tempo do que hoje. Porque eu não vou fechar, creio que a igreja é o hospital de Deus para a área espiritual e emocional”, disse Malafaia.