Sambódromo deve virar abrigo para população de rua no RJ A exposição da população em situação de rua ao coronavírus é uma das preocupações ainda sem solução na cidade do Rio de Janeiro. Uma das possibilidades levantadas pela prefeitura é abrigar aqueles que necessitam de um lugar para fugir da pandemia no Sambódromo.

A prefeitura do Rio de Janeiro estuda a hipótese de usar o Sambódromo da Marquês de Sapucaí como abrigo para moradores de rua.

A ideia seria melhorar a instalação de pias e chuveiros que já existem na Avenida para permitir a higiene pessoal da população em situação de rua. Hoje, o número de moradores sem um ‘lar’ é estimado em 14 mil.

A partir da semana que vem, as equipes de abordagem distribuirão quatro mil kits com sabonete líquido, lenço umedecido e papel higiênico, junto com panfleto informativo sobre como proceder a higienização. Também está prevista, junto com o governo do estado, a distribuição de 400 vagas em quartos de hotéis para idosas, gestantes e mães com crianças em situação de rua da cidade.