Visitas a idosos em asilos do Rio estão proibidas As visitas às instituições públicas ou privadas que abrigam idosos em todo o Rio de Janeiro estão proibidas pelos próximos 15 dias e funcionários e os idosos residentes devem fazer reforço das vacinas.

As medidas para evitar a disseminação do novo coronavírus no grupo considerado de alto risco para a doença, constam da Resolução da Secretaria de estado de Saúde, publicada na terça-feira (17) e que reitera, ainda, a necessidade da constante higienização pessoal, principalmente das mãos, que devem ser lavadas com água e sabão.

No Abrigo do Cristo Redentor, em Higienópolis, zona norte do Rio, único administrado totalmente pelo governo do estado, vivem 219 idosos com idades de 60 a mais de 100 anos em situação de vulnerabilidade, ou seja, foram abandonados, sofreram maus tratos ou tiveram outros direitos violados.

Equipes da secretaria de Saúde vêm acompanhando o quadro dos residentes, que em sua maioria apresentam doenças crônicas.

Na capital fluminense, a Secretaria municipal de Assistência Social e Direitos Humanos é responsável por cinco abrigos públicos e seis conveniados, totalizando 170 idosos residentes.

A secretaria informou que todas as medidas para garantir a saúde dos idosos estão sendo tomadas.

Na quarta-feira (18), o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos divulgou nota pedindo a colaboração dos conselhos estaduais e municipais da pessoa idosa de todo o Brasil, para que auxiliem na sensibilização das secretarias de saúde em relação aos idosos neste momento de emergência pública devido ao novo coronavírus.