Manifestantes pró-Bolsonaro ignoram coronavírus e saem às ruas Na última semana, diante da declaração de pandemia do coronavírus feita pela Organização Mundial de Saúde, o presidente Jair Bolsonaro cancelassem as manifestações marcadas para este domingo (15) em todo o Brasil. Mas hoje o que se viu foram milhares de pessoas vestidas de verde e amarelo nas ruas das principais cidades do país para manifestar seu apoio ao governo Bolsonaro.

O presidente retribuiu o carinho, publicando em suas redes sociais fotos das manifestações. E ele mesmo não obedeceu a sua própria recomendação e foi às ruas de Brasília. O presidente deixou a residência oficial do Palácio da Alvorada no início da tarde deste domingo (15) para participar, de carro, da manifestação na capital federal.

A manifestação em Brasília teve críticas ao Congresso e ao Supremo Tribunal Federal (STF), algumas delas inconstitucionais e ilegais, como faixas pedindo intervenção militar e fechamento do Congresso e do STF.

Bolsonaro primeiro subiu o Eixo Monumental em um sentido, depois fez a volta para percorrer o sentido oposto. Nesse momento, a quantidade de carros que o seguia diminuiu. O presidente foi até o Palácio do Planalto, local de trabalho, que não costuma frequentar aos domingos. Lá, subiu a rampa que fica na entrada e, da parte de cima, ficou acenando para as pessoas que começaram a se reunir na rua.

O presidente abriu uma transmissão ao vivo na internet no momento em que estava em cima da rampa do palácio:
"Não tem preço o que esse povo está fazendo, apesar de eu ter sugerido, eu não posso mandar, a manifestação não é minha, o adiamento, dado esse vírus", disse Bolsonaro.

Depois ele desceu até a rua para cumprimentar os apoiadores. Ele pegou na mão das pessoas, contrariando o que tinha dito na sexta.

Mais cedo, Bolsonaro havia compartilhado em suas redes sociais imagens de atos pró-governo em cidades do país.