Igrejas mudam sua rotina na luta contra o coronavírus Em Lucas 21.11 podemos ler o que a Bíblia diz sobre epidemias: “E haverá em vários lugares grandes terremotos, e fomes e epidemias; haverá também coisas espantosas, e grandes sinais do céu.” E a mesma Bíblia diz em Mateus 24.6 que não devemos ter medo: “E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim”.

Mais do que uma epidemia, o mundo passa por uma pandemia, segundo declarou a Organização Mundial da Saúde. A Itália está em quarentena, eventos internacionais foram cancelados e aqui no Brasil as autoridades também seguem seus protocolos de segurança na tentativa de impedir o avanço do coronavírus. A orientação é evitar aglomerações. Isso inclui os cultos.

Seguir esta orientação seria assumir o medo e, consequentemente, a falta de fé em Deus? Ou seria uma atitude prudente e de zelo pela comunidade de fé?

Igrejas tem se posicionado de formas distintas. Umas mantiveram seus cultos e demais programações. Outras decidiram migrar totalmente para o culto on-line, fechando suas portas. É o caso da Hillsong São Paulo, que manterá suas portas fechadas no próximo domingo. Mas está preparando uma programação on-line com cultos às 11h, 13h, 16h30, 18h30 e 20h30.

“Devido às recomendações das autoridades do Ministério da Saúde e a determinação da prefeitura da nossa cidade, sobre evitarmos atividades com grande aglomeração de pessoas, tomamos a decisão de que nossa igreja em São Paulo não se reunirá neste domingo, dia 15/03, como fazemos todas as semanas. Estamos preparando uma mensagem do nosso pastor Chris Mendez e facilitaremos o acesso on-line para estarmos todos conectados. Cremos que, como corpo de Cristo, a Igreja não está apenas em um lugar físico e nem condicionada a um formato, mas sim que cada um de nós é A IGREJA... Vamos continuar orando para a contenção do coronavírus e que as pessoas já infectadas sejam curadas, em nome de Jesus”, diz o comunicado da Hillsong que acompanha um versículo: "Deixo a paz a vocês; a minha paz dou a vocês. Não a dou como o mundo a dá. Não se perturbe o seu coração, nem tenham medo". João 14:27 (NVI)

Já a Igreja Batista Atitude, com sede no Rio de Janeiro, está em paz em manter todos os seus cultos presenciais. A igreja preferiu orientar seus membros com relação ao cuidados de higiene para evitar a propagação do coronavírus e fez um apelo especial para evitar o compartilhamento de notícias falsas, a fim de se evitar o pânico e a histeria.

“Pedimos que você não promova nem compartilhe informações falsas, já que a situação é complexa. Por isso, evite a histeria coletiva. Não alardeie, nem espalhe pânico entre as pessoas. Ore para que pessoas sejam curadas e para que a pandemia seja contornada com o menor impacto possível e prejuízos. Procure ajuda médica em caso de suspeita. Se você viajou nos últimos dias fique atento e faça quarentena”, diz o comunicado da Atitude.

Para o pastor Silas Malafaia, líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC), “há uma paranoia” em relação à Covid-19, doença causada pelo coronavírus. Em seu primeiro vídeo sobre o assunto, publicado nas redes sociais ele lembrou que só há 15% de risco de mortes para pessoas acima dos 80 anos e que para crianças este risco é zero. No entanto, o pastor disse que em caso de necessidade recorrerá ao culto on-line.

Diante da TV, do smartphone ou reunidos em um salão, o importante é adorar a Deus agradecidos pela liberdade que temos em nosso país para isso.