Ouça aqui a Rádio Melodia!

Prefeito e vice de Itaguaí/RJ sofrem impeachment Acusados de nepotismo, o prefeito de Itaguaí Carlo Busatto, o Charlinho, e o vice-prefeito Abelardo Goulart, o Abelardinho, tiveram os mandatos cassados pela Câmara Municipal. A sessão terminou na manhã desta sexta-feira (06), e o resultado foi de 13 a 4 a favor do impeachment. O presidente da Câmara assume a prefeitura de Itaguaí ainda nesta sexta.
Charlinho nomeou a esposa, Andréia Busatto, como secretária de Educação. Já o vice-prefeito nomeou a filha, Érika Goulart, como secretária de Esportes.

A leitura da denúncia, com 1.062 páginas, começou na noite de quinta-feira e demorou nove horas para ser concluída. A apresentação do relatório final consumiu mais uma hora e meia.

Charlinho acusou os vereadores de tentarem um golpe e afirmou não ter cometido nenhum tipo de improbidade. Logo em seguida, o procurador-geral do município, Alexandre Oberg, passou a fazer a defesa Abelardinho.

Esta foi a quarta sessão de impeachment feita pela câmara – nas outras três, o pedido foi negado.

Em fevereiro, o Ministério Público do Rio (MP-RJ) entrou com ação na Justiça cobrando valores bilionários de Charlinho, e dos ex-prefeitos Luciano Mota e Weslei Pereira. No processo por improbidade administrativa, com pedido de bloqueio de bens, o Grupo de Atuação Especializada no Combate à Corrupção (Gaecc) pede um reembolso de R$ 1,9 bilhão aos cofres públicos, sob a alegação de que os três políticos teriam descumprido a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) ao gastar mais do que o permitido com a folha de pagamento, inclusive com a concessão de gratificações.