Feirão da Serasa começa pela internet com descontos que podem chegar até 98%     A partir desta quinta-feira (27), os consumidores com dívidas atrasadas e/ou negativadas terão a oportunidade de renegociar seus débitos pelo computador, tablet ou smartphone pelo aplicativo do Serasa Consumidor com condições especiais: é o Feirão Limpa Nome do Serasa Consumidor. Na versão online anterior, realizada em novembro de 2019, também considerado como o maior Feirão Serasa Limpa Nome da história da empresa, mais de 4 milhões de acordos foram fechados, resultando em mais de 5 bilhões de reais em descontos concedidos.

O site www.feiraolimpanome.com.br permite a renegociação diretamente com os credores e de qualquer lugar, de forma gratuita. As empresas participantes são: Itaú, Banco do Brasil, Santander, Recovery, Claro, Net, Embratel, Avon, Ativos, Anhanguera, CredSystem, Sky, Oi, DI Santinni, Ipanema, Nextel, Unopar, Hoepers, BMG, Digio, Porto Seguro, Tricard, Crefisa, Cartão confiança (D'avó), Unic, Fama, Pitágoras, SoroCred, Uniderp, Unime, Itau Card, Hipercard, ConectCer, Elmo, Tenda, Energisa, Banco Original, Banrisul, EDP. Todas elas com oportunidades exclusivas, prazos de pagamentos diferenciados, além de descontos para a quitação das contas em atraso.

Segundo Lucas Lopes, diretor do Serasa Consumidor, essa é a oportunidade de as pessoas negociarem suas dívidas com facilidade e segurança: "O feirão é um momento muito especial para nós e bastante esperado pelos consumidores. Durante 35 dias, os parceiros integrados em nossa plataforma ofertarão condições especiais, chegando até 98% de desconto, para quem quiser pagar suas dívidas! Em novembro do ano passado, fizemos o maior feirão da história e estamos confiantes que superaremos todas as expectativas em ajudar cada vez mais brasileiros a quitar suas dívidas", afirma Lopes.

Mapa da inadimplência

Segundo estudo desenvolvido pela Serasa Experian, em dezembro de 2019, o número de consumidores inadimplentes no país chegou a 63,3 milhões, 1,5% a mais do que em dezembro de 2018, quando eram 62,4 milhões. O montante alcançado pelas dívidas até dezembro de 2019 foi de R$ 256 bilhões, com o valor médio de R$ 4.043,00.

A maior concentração dos negativados têm entre 26 e 40 anos (37% do total). Em segundo no ranking de participação entre os inadimplentes estão pessoas de 41 e 60 anos, que correspondem por 34,2% do total.

Questões de gênero, a inadimplência está dividida praticamente por igual: 48,3% são homens, e 46,6% são mulheres. A maioria das dívidas foi contraída junto aos setores bancários e de cartão de crédito, totalizando 27,8% do total. O setor de contas básicas, como energia elétrica, água e gás respondeu por 20,4% do total de débitos em atraso. O setor de varejo alcançou 12,3% do montante. Já o setor de telefonia respondeu por 11% da inadimplência.

Inadimplência por região

O estudo também mostra que, em dezembro de 2019, a região com maior percentual de inadimplentes do país era a Sudeste, com 45,5% do total, seguida pela região Nordeste, com 24,4%. O Sul ficou em terceiro, com 12,8% dos negativados. A região Norte registrou 9,3%, seguido da região Centro-Oeste, com 8,2%.