Contraprova confirma primeiro caso de coronavírus no Brasil

Durante entrevista coletiva em Brasília, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, confirmou o primeiro caso de coronavírus no Brasil. O caso foi registrado pelo Hospital Albert Einstein, na Zona Sul da capital paulista, na terça-feira (25). O paciente é um homem de 61 anos. Ele é brasileiro e viajou para o norte da Itália entre 9 e 21 de fevereiro. O paciente tem sinais brandos da doença, como tosse, e está em isolamento domiciliar.

O ministro disse que não há motivos para pânico, pois o governo já estava preparado para impedir o avanço da doença.

Ele diz que o Brasil está em contato permanente com outros países da América do Sul para monitorar o vírus e que investiu recursos para a compra de equipamentos de proteção individual para profissionais de saúde, além de ter laboratórios capacitados para fazer exames para identificar o novo coronavírus.

Segundo Mandetta, o Brasil tem características climáticas diferentes dos países do Hemisfério Norte, onde surgiu o vírus. Por isso, segundo ele, é preciso saber como esse vírus vai se comportar durante o verão de um país tropical.

“Não sabe se por aqui o vírus acelera ou desacelera. Os vírus se comportam de forma diferente no Hemisfério Norte e no Hemisfério Sul. Esse é um vírus que surgiu em baixa temperatura. Pode não ter o mesmo comportamento. Pode ser para melhor ou para pior”, ressaltou o ministro para em seguida completar:

“O Brasil é um país de pessoas mais jovens e está no verão. Esse é um período pouco propício para um vírus respiratório por aqui”.

O primeiro brasileiro com coronavírus encontra-se isolado, em casa, recebendo acompanhamento médico.

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) solicitou nesta terça-feira (25) a lista de passageiros que viajaram no mesmo voo em que este homem estava.

A Anvisa informou que pretende investigar outros passageiros do voo e fez a seguinte nota:

Diante de exame preliminar positivo para coronavírus (Covid-19) em passageiro vindo da Itália para o Brasil no dia 21 de fevereiro deste ano, a Anvisa já tomou as seguintes medidas:

• Solicitou à companhia aérea a lista de passageiros que estavam no mesmo voo do passageiro com resultado positivo para coronavírus. O documento será encaminhado ao Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs) para investigação de outros passageiros do voo que tiveram contato com o caso suspeito

• Aumentou a criticidade no monitoramento dos voos internacionais provenientes de países onde há casos confirmados da doença. A lista foi atualizada no dia 24 de fevereiro pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

• A Anvisa reforça: se você esteve nos países com casos confirmados e apresentar febre e mais de um sintomas respiratórios, procure atendimento médico de imediato e informe ao profissional de saúde a viagem feita para o exterior.