Mulher é presa após mentir que estava com sintomas do coronavírus Que a mentira tem perna curta, muita gente já sabe. Mas que pode levar à prisão, tem gente que não sabe ou acha que não é algo fora da realidade brasileira. Foi pensando assim que uma mulher se deu mal ao fingir ter coronavírus para receber atendimento prioritário em uma Unidade de Pronto Atendimento de Copacabana, no Rio de Janeiro.

Segundo informações da 12ª Delegacia de Polícia de Copacabana, a mulher disse que havia acabado de voltar de Hong Kong, província autônoma da China, e que sentia os sintomas da doença.

A UPA chegou a acionar o protocolo internacional para tratamento do vírus. A paciente foi isolada e encaminhada a uma série de exames. Durante entrevista, afirmou que viajou como babá de uma família. Ainda de acordo com a delegacia, as Vigilâncias Sanitárias estadual e municipal foram acionadas e chegaram a notificar o caso ao Ministério da Saúde.

Policiais desconfiaram da informação, após familiares da mulher dizerem que ela não possuía passaporte e que nunca saiu do país. A informação foi confirmada junto à Polícia Federal e a mulher foi presa.

Ela foi autuada em flagrante por Falsidade Ideológica, e no artigo 41 da Lei de Contravenções Penais (provocar alarme, anunciando desastre ou perigo inexistente, ou praticar ato capaz de produzir pânico e tumulto). A mulher confessou ter mentido só porque queria prioridade no atendimento.