Decretada prisão preventiva de acusado de atear fogo em casa e matar 3 enteados A Justiça decretou, na segunda-feira (27/01), a prisão preventiva do companheiro da mãe das três crianças mortas em Paraty, na Costa Verde do Rio. Fernando Evangelista da Silva, de 36 anos, foi preso na última sexta-feira (24/01), quando os corpos foram encontrados na casa após um incêndio.

Durante audiência na Casa de Custódia de Volta Redonda, a prisão em flagrante de Fernando foi convertida em preventiva para garantir a ordem pública e assegurar a aplicação da lei penal. Segundo o juiz Marco Aurélio Adania, há indícios suficientes de autoria do crime por parte do acusado a partir de depoimentos colhidos por policiais da 167ª DP (Paraty).

Fernando responderá pelos crimes de homicídio consumado contra as crianças (de 4, 5 e 7 anos) e tentativa de feminicídio contra a companheira e mãe das crianças, Dara Cristina de Almeida Santos Souza, além da prática de crime de incêndio.

Devido à repercussão do caso e ao fato de ele ter prestado depoimento se dizendo ameaçado pelos outros presos, o magistrado determinou que Fernando fique separado dos outros internos do sistema penal.

Desde que o incêndio destruiu o casarão onde mãe e filhos estavam, na sexta-feira, Dara Cristina está internada em um hospital em Angra dos Reis. Ela inalou muita fumaça, mas não corre risco de vida.

“Domingo o pai conseguiu vê-la e ela estava acordada, tossindo muito. Ela não perguntou pelas crianças, não lembra de nada do que aconteceu naquele dia. A Dara disse que queria ir para a casa dela, parece que não lembra do incêndio. Ela está melhor, fora de perigo, graças a Deus. Não sabemos quando vamos contar para ela que os seus três filhos morreram. O médico pediu para esperar mais, talvez depois dela sair do CTI”, explicou um tio de Dara que preferiu não ser identificado.