Pacientes buscam ajuda na internet e colocam saúde em risco O resultado de um exame nas mãos e uma pesquisa rápida na internet são uma combinação que pode parecer inofensiva, mas não é. Muitos pacientes deixam de levar ao médico os resultados dos exames por entenderem, por meio de pesquisas na rede, que está tudo bem com a sua saúde. Outros, ainda, chegam ao ponto de, por conta própria, seguir investigando e, a partir das alterações apontadas nos exames, partem para a automedicação.

"Hoje em dia, a internet traz respostas para tudo, mas nem sempre as respostas são as mais adequadas ou compatíveis com aquele paciente ou aquela situação. O médico, conhecendo o histórico do paciente e o resultado de todos os exames, será a única pessoa que poderá analisar e interpretar os resultados de maneira adequada", explica o Dr. Arnaldo Urbano Ruiz, cirurgião oncológico especializado em doenças do peritônio.

O especialista revela o caso de um paciente, que deveria ter ido ao seu consultório, após a realização de um exame de tomografia, no qual foi diagnosticado um tumor. Mas, ao invés disso, decidiu seguir por conta própria.

"Através de informações obtidas na internet, ele entendeu que precisaria realizar um outro exame para confirmar o diagnóstico de câncer, chamado Pet-Scan, mas este trouxe um resultado, que também através da internet, ele entendeu ser negativo. Com estas pesquisas, o paciente entendeu que não estava doente e, portanto, que não precisaria mais levar os exames a um cirurgião oncológico, pois estava tudo bem com a sua saúde. Mas não estava. Seis meses depois e um câncer já em estado bastante avançado, com 15 quilos a menos, ele havia perdido a chance de realizar alguns tratamentos que seis meses antes poderiam ter sido bastante eficientes", explica.

Este caso é um exemplo de como o “Doutor Google” pode ser extremamente perigoso, levando uma pessoa leiga a equívocos que podem lhes custar a vida. Ao esconder diagnósticos importantes, o início de um tratamento é atrasado, reduzindo, inclusive, as chances de cura de uma doença grave. Em outras situações, pessoas podem realizar tratamentos para um problema, quando na realidade o seu caso é outro.

É também importante, ao fazer uma pesquisa, observar os sites visitados. Na área da saúde, dar sempre preferência àqueles pertencentes a entidades médicas, instituições de ensino, órgãos governamentais, empresas jornalísticas sérias e outros que tenham credibilidade comprovada.