Mais de 20 mil cristãos são batizados no rio Jordão No último fim de semana, mais de 20 mil cristãos se reuniram no rio Jordão para serem batizados no mesmo local em que, segundo a Bíblia, João Batista batizou Jesus Cristo. O lugar é o mesmo onde os filhos de Israel atravessaram a Terra Prometida e onde Elias ascendeu ao céu.

Eles estavam lá para comemorar a Festa da Epifania, um dia em que católicos e ortodoxos observam para celebrar quando os três Reis Magos visitaram o menino Jesus, e, portanto, a manifestação física de Jesus aos gentios, conforme predito pelas Escrituras.

Peregrinos cristãos participaram de várias cerimônias durante todo sábado e domingo no local batismal de Qasr al-Yahud, no rio Jordão. É um dos locais mais sagrados para cristãos e milhares de crentes vão para lá todos os anos para declarar sua fé em Jesus através do batismo.
Cinco denominações cristãs realizam cerimônias batismais no rio Jordão desde janeiro, e os cristãos coptas e armênios devem realizar eventos no final deste mês, segundo o The Jerusalem Post.

“A Administração Civil se esforçou muito para se preparar para essas importantes cerimônias como parte de seu programa para preservar a liberdade de religião e o culto a todas as denominações cristãs. Graças às cerimônias, vemos um aumento acentuado do turismo, além de um impulso à economia, pelo qual sou grato. Nesta ocasião, gostaria de desejar a todos os membros da comunidade cristã boas festas”, disse o tenente-coronel Eran Gross.

Não muito longe do local do batismo está a “Terra dos Mosteiros”, uma área de 250 acres que permaneceu fora dos limites dos peregrinos por anos porque estava cheia de minas terrestres que sobraram de conflitos passados, como a Guerra dos Seis Dias. A Terra dos Mosteiros é um projeto que visa desenvolver e preservar mosteiros e igrejas abandonados ao longo do rio Jordão, perto do local onde João Batista batizou Jesus.

O presidente Reuven Rivlin disse aos líderes cristãos em dezembro que a Terra dos Mosteiros será aberta depois que Israel terminar de limpar todas as minas terrestres este ano.

“Estamos prestes a terminar de limpar todas as minas da Terra dos Mosteiros no início do próximo ano. O número de peregrinos cristãos na Terra Santa cresce a cada ano. Apenas em 2019, cerca de 900 mil peregrinos visitaram a Terra dos Mosteiros. Estamos trabalhando duro para concluir o desenvolvimento de toda a área até o final de 2020. ”

Ele também exortou judeus e cristãos a se defenderem contra o anti-semitismo e a perseguição cristã.

“Assim como o preconceito anti-judeu não é cristão, o preconceito anti-cristão não é judeu. Devemos nos comprometer a combater todos os atos de ódio, incitação e violência entre comunidades religiosas em Jerusalém e na Terra Santa. Infelizmente, em 2019, cristãos foram mortos no Oriente Médio, simplesmente por manter sua fé. Jerusalém deve servir de modelo para a paz e a harmonia entre as religiões. ”