Não viva de passado Como é difícil a gente tentar levar a vida carregando um saco de cimento de 50 kg. Eu quero dizer que esse peso é, às vezes, a culpa, o pecado… Tem gente que se culpa, se martiriza por coisas que aconteceram há 10, 20, 30 anos.

O nome “diábolos”, no grego significa “o acusador”. O objetivo dele é fazer com que você fique estagnado, parado, estático na sua vida. Ele quer que você não tenha perspectivas de melhora. O pecado gera a culpa; a culpa gera raiz de amargura e você fica preso e sofrendo, lamentando o seu passado.

O que você precisa fazer é o que diz a Bíblia: “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo”. Ou seja, é Deus quem tem a caneta para absolver-nos.

E o Salmo 25.18 diz: “Ele vê as minhas tristezas e sofrimentos”. Ele sabe. Não estou dizendo que a sua dor não seja lícita. Ela é lícita. Mas isso não pode interferir na sua jornada terrena, no seu relacionamento familiar, no seu casamento ou na sua vida profissional. Completando o versículo: “…e perdoa todos os meus pecados”.

O segredo é você reconhecer as suas limitações, pegar os seus pecados, entregá-los na cruz de Cristo e seguir em frente.

Vou te dar um conselho como amigo, não necessariamente como pastor, que é o que eu aplico na minha vida. Eu sou um cara que foi sequestrado durante 21 dias, operei coração, minha esposa entrou em coma… eu poderia viver me lamentando. Mas eu, Pedro Luiz Barreto, cruzo a ponte, acendo a banana de dinamite e explodo tudo o que ficou para trás. Eu não vivo de passado. Eu olho para frente, para o futuro.

Eu quero te convidar a olhar para as coisas boas que Deus quer realizar na sua vida. Se os seus olhos forem bons, o resto será uma maravilha. Que tal explodir as culpas que você traz pelo seu passado? Entregue todas nas mãos de Deus.

s