Publicidade

Falha na correção do Enem pode prejudicar concorrentes a vagas no Sisu Sábado (18), o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) informou que identificou quatro casos de inconsistências na correção da segunda prova do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), que teve os resultados divulgados na sexta-feira (17).

As explicações vieram após alunos relatarem nas redes sociais terem sido surpreendidos com notas baixas. Pelo Twitter, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, pediu desculpas, disse que o problema será resolvido até esta segunda-feira (20) e afirmou que ninguém será prejudicado.

No entanto, o período de inscrições para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) foi mantido: vai de terça-feira (21) a sexta-feira (24). O desempenho no Enem é critério para concorrer no Sisu, que oferece 237 mil vagas em universidades federais em todo o país.

O Inep atribuiu o erro de correção à gráfica responsável pela impressão das provas. O instituto estima que cerca de 1% dos 3,9 milhões estudantes que fizeram a prova pode ser atingido, o que representa 39 mil alunos.