Influenciadora faz sucesso com “look do culto” Por muitos anos as mulheres evangélicas tornaram-se conhecidas por suas roupas longas, em cores discretas e sem decotes. A moda evangélica contemporânea caracteriza o que muitas igrejas têm pregado, um Evangelho menos conservador, mais “colorido”. Basta olhar as redes sociais de cantoras como Aline Barros e Priscilla Alcântara para perceber a mudança.

A contemporaneidade da moda gospel chamou a atenção de uma das principais revistas femininas do mundo. A Vogue registrou em suas páginas a moda da influenciadora digital carioca Josy Ramos, de 26 anos. A moça costuma compartilhar os seus "looks do culto" no Instagram. São roupas que passam longe da formalidade e de estereótipos – com peças coloridas, estampadas, tênis e pochete. As produções são combinadas com cabelos tão irreverentes quanto as roupas, que vão das tranças coloridas ao inteiro pink. 

"Eu vou para a igreja como eu me arrumo no dia a dia, da forma estilosa que eu gosto de ser. Para mim, não tem essa regra de que temos que usar comprimento abaixo do joelho. Eu fujo desse conservadorismo todo", disse à Vogue.

Defensora de que não é preciso mudar o estilo para ir à igreja, Josy concorda que é preciso bom senso.

“Por ser um ambiente respeitoso, é claro que eu não vou usar um decote até o umbigo ou um top cropped supercurto."

Filha de pastores, Josy cresceu na Igreja Batista Viva, em Rocha Miranda, no Rio de Janeiro, e frequenta o culto todos os domingos. Mesmo quando está viajando, ela vai à igreja. Em outubro ela diz ter vivido uma de suas maiores experiências. Ela foi ao Sunday Service de Kanye West em Los Angeles, uma mistura de culto com coral e show de hip hop que o rapper já levou até ao Coachella.

A jovem se divide entre o curso de jornalismo e o trabalho como vendedora em uma das mais descoladas lojas de moda feminina do Rio de Janeiro. Há 5 anos compartilhando seus looks no Instagram, Josy já tem mais de 128 mil seguidores.

“Sempre fui arrumada para os cultos, me monto toda, porque é a nossa festa, a nossa celebração!", conta.

A influenciadora diz nunca ter sofrido preconceito pela forma que se veste na sua igreja, mas afirma ter percebido olhares atravessados ao visitar outras igrejas.

Seu Instagram também se tornou um point para troca de experiências. Josy costuma receber muitos relatos de seguidoras que gostariam de seguir uma moda mais contemporânea, mas se sentem reprimidas em suas igrejas.

“Elas me pedem dicas de como usar, tanto de como lidar quando a igreja que frequentam não permite algumas roupas", conta. "Então eu as ajudo muito a quebrar esses tabus dentro da igreja delas. Acho essa troca com as seguidoras cristãs muito importante".