Pastor impede mulher de pular da Ponte Rio Negro

Uma mulher de 25 anos poderia ter sido mais um número na estatística de suicídios registrados na Ponte Jornalista Phelippe Daou, conhecida como Ponte Rio Negro, que liga Manaus aos municípios da zona Metropolitana. Mas quis Deus que um pastor cruzasse o seu caminho na quarta-feira (15) quando iria tirar a própria vida.



Em um vídeo que circula nas redes sociais é possível ver a mulher conversando com um pastor que tenta acalmá-la no parapeito da ponte. Felizmente a conversa durou o tempo suficiente até que policiais da 8ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) concluíssem o socorro iniciado pelo pastor Ronaldo Oliveira, da Igreja Evangélica Assembleia de Deus no Amazonas (IEADAM).



Ronaldo observou um tumulto na ponte Rio Negro quando voltava para casa, no bairro Alto de Nazaré, conhecido como Mutirão do Cacau Pirêra, localizado no município de Iranduba (27 quilômetros distante de Manaus). Ele estava de carro com o irmão e logo pensaram que se tratava de mais um suicídio. A dupla parou e correu em direção à mulher. “Chegamos lá, vimos uma mulher muito angustiada chorando e gritando 'Por que vocês me puxaram? Eu já estava pulando da ponte’. Pedi licença ao policial e comecei a conversar com ela”, contou Ronaldo.



À medida que o pastor proferia palavras de reconforto, a jovem confessava do possível motivo da tentativa de suicídio. “Ela ficava falando que estava cansada de ter se doado tanto para uma pessoa. Não posso afirmar, mas ela comentava que tinha sido traída por alguém. Não sei se foi por um amigo, relacionamento amoroso ou outra pessoa que possa tê-la desapontado”, confessou o pastor.



Após isso, a mulher foi socorrida e retirada do local e acompanhada até o início da ponte para que os familiares pudessem levá-la em segurança para casa.



Segundo dados da polícia local, em média, semanalmente ocorrem seis casos de tentativa de suicídio na Ponte Phelippe Daou.