Publicidade

Governador do Rio afasta diretor da Cedae

O diretor de saneamento e grande operação da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae), Marcos Chimelli, será afastado por determinação do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel.

O afastamento acontece em meio à crise na Cedae em razão da qualidade duvidosa dá água fornecida à população do Rio de Janeiro.

Os equipamentos necessários para a aplicação de carvão ativado chegaram à estação de tratamento do Guandu, em Nova Iguaçu, na manhã desta sexta-feira. O maquinário será acoplado à linha de produção do Guandu nos próximos dias, para que a filtração com o carvão possa começar. A promessa da Cedae é que na semana que vem a água chegue às torneiras sem geosmina, uma enzima liberada por microalgas que, segundo a companhia, tem sido responsável pela alteração do gosto e o cheiro da água há pelo menos 15 dias.

O odor e gosto estranho da água já viraram até caso de polícia. Pela manhã, funcionários da Cedae foram à delegacia para depor sobre a água que tem chegado às casas com gosto e cheiro de terra, numa coloração escura.

A polícia esteve na estação de tratamento do Guandu na quinta e na sexta para investigar as causas do problema.

Na quarta-feira (15), o presidente da companhia, Hélio Cabral, pediu desculpas à população pelo que chamou de “transtornos”.