Publicidade

Exposição Egito Antigo bate recorde com 1 milhão de visitantes no CCBB RJ A exposição Egito Antigo: do cotidiano à eternidade, em cartaz no Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro há pouco mais de três meses, recebeu na tarde desta quarta-feira (15/01) o visitante de número 1 milhão. Trata-se da estudante Luanda Santana Costa, de 18 anos. Essa foi a segunda vez que Luanda visitou o CCBB, ela estava acompanhada da mãe, Vera Lúcia.

A marca é um novo recorde da instituição e coroa o sucesso da mostra gratuita, inaugurada em 12 de outubro. Dado o sucesso e o crescente interesse do público, o CCBB-RJ prorrogou a visitação da mostra até 02/02. Egito Antigo: do cotidiano à eternidade deixará o Rio para ser apresentada em outras quatro localidades: CCBB São Paulo (em 18/02), CCBB Brasília (em junho) e CCBB Belo Horizonte, em setembro.

O curador da exposição, Pieter Tjabbes, atribui o recorde nacional de visitantes do CCBB Rio ao altíssimo nível de qualidade das obras, à expografia envolvente e ao empenho de toda a equipe do CCBB e de produção da Art Unlimited. Ele destaca ainda o apoio recebido pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro com a oferta de transporte para as escolas públicas. “Ao fim da exposição, é provável que tenhamos até um recorde internacional”, aposta.

“A combinação de obras fascinantes e uma dose substancial de interação sensibiliza pessoas que ainda não estão habituadas a visitar o CCBB”, explica Pieter. “Também nos alegra muito perceber a participação de visitantes de diferentes níveis socioculturais, sendo que muitas dessas pessoas se mobilizam pela possibilidade de aproximação com as raízes africanas presentes na cultura do Egito Antigo”.

Sueli Voltarelli, gerente geral do CCBB Rio de Janeiro, também celebra o marco. “Este é um momento de grande alegria para o CCBB, um dia para celebrar e agradecer”, comemora. “Premiar a visitante de número 1 milhão da exposição é uma forma simbólica de agradecer a cada um desses 1 milhão de visitantes que saíram de suas casas, muitas vezes enfrentaram fila, o calor do verão carioca, e vieram prestigiar um acervo histórico tão importante como este do Museu de Turim”, explica.

O acervo apresentado é composto de 140 peças que têm em comum a relevância para o entendimento da cultura egípcia, que manteve parcialmente os mesmos modelos religiosos, políticos, artísticos e literários por três milênios.

Egito Antigo: do cotidiano à eternidade | Centro Cultural Banco do Brasil
• CCBB Rio de Janeiro: prorrogada até 2 de fevereiro
• CCBB São Paulo: 19/02/2020 a 11/05/2020
• CCBB Distrito Federal: 02/06/2020 a 30/08/2020
• CCBB Belo Horizonte: 16/09/2020 a 23/11/2020