Publicidade

Juliana Paes faz campanha contra goleiro Bruno A atriz Juliana Paes iniciou uma campanha para que o Fluminense de Feira de Santana, da Bahia, não contrate o goleiro Bruno.

Com a hashtag #meuídolonãoéfeminicida Ju Paes cita o vídeo em que a jornalista Jessica Senra condena a idolatria ao assassino de Eliza Samudio.

"Jéssica Senra me surpreendeu e me comoveu com a sua coragem, ousadia e inteligência ao defender seu posicionamento contra um clube de futebol que desejava contratar o goleiro Bruno, condenado por um crime bárbaro de assassinato à mãe de seu filho", disse na mensagem.

Senra discursou ao vivo no Jornal Meio Dia, da TV Bahia, sobre o possível contratação de Bruno.

Mas Juliana Paes talvez enfrente problemas com a emissora para a qual trabalha. É que a TV Globo resolveu transformar a história do goleiro Bruno em série, dirigida por Amora Moutner e estrelada por Vanessa Giácomo, no papel de Samudio.

O time baiano voltou atrás em sua decisão, tamanha foi a pressão da torcida. Esta não é a primeira vez que Bruno vê sua tentativa de voltar ao futebol ser frustrada. Em outubro passado, o time mineiro Poços de Caldas FC rescindiu com ele 23 dias após a sua contratação e estreia.

Em 2017, Bruno assinou com o Boa Esporte, de Varginha, mas por determinação da Justiça voltou à prisão 2 meses após ser solto.

Bruno foi condenado em 2013 por homicídio triplamente qualificado, sequestro e cárcere privado de Eliza Samudio, sua amante, então com 25 anos, ocorrido em 2010.

A pena inicial era de 22 anos e 3 meses, mas foi reduzida pela prescrição do crime de ocultação de cadáver. O corpo de Eliza nunca foi encontrado.

Em julho de 2019, o ex-goleiro do Flamengo conseguiu progressão ao regime semiaberto.