Pastor estará no desfile da Mangueira O pastor Henrique Vieira, da Igreja Batista do Caminho, é do time de religiosos que acredita que pode haver diálogo entre religião e manifestações culturais como o Carnaval. Henrique, que também é ator e historiador, estará no desfile da Mangueira, no Carnaval 2020. Além de desfilar, o pastor também ajudou o carnavalesco Leandro Vieira no estudo da biografia de Jesus, que será retratada na Avenida com o enredo 'A verdade vos fará livre'.

"O enredo me motivou e emocionou. O mais interessante é que em uma época em que se prega um Jesus bélico e intolerante, a Mangueira leva para a Sapucaí um Jesus mais parecido com o que está na Bíblia", elogiou o pastor.

Henrique não vê problemas em estar no Carnaval que, segundo ele, “é uma festa popular, que promove ocupação criativa das ruas”.

Para ele o preconceito vem por parte do fundamentalismo religioso, que generaliza.

“A Estação Primeira de Mangueira este ano vai para o desfile resgatando o Cristo dos pobres, dos oprimidos, das vítimas de preconceito e opressão. Com arte, beleza, coragem e coerência a Mangueira (que é do povo) fala de Jesus (que é do povo). Como pastor e artista sinto minha fé contemplada. Em tempos de tanto ódio, é lindo ver o Jesus do amor, de pés no chão, mãos estendidas, nas praças, nas ruas, na arte, no samba, na vida”, disse o pastor.

A atitude do pastor não tem agradado aos seus seguidores cristãos.

“Eu comecei a seguir porque fiquei curiosa, mas aqui nessa postagem (com a bandeira da Mangueira) vejo que é muito pior do que eu imaginava! Como eu não vou mudar ninguém, estou deixando de seguir agora. E que Deus te ajude a entender o q Ele quer de você. Jesus é sim Amor e sem amor ninguém o verá. Mas o amor precisa do tempero da obediência em vencer a carne. Carnaval nunca foi e não será algo que alegra Deus. Pastor é escola de samba não tem mistura... Tchau pra tu que fica enganando o povo com essa vozinha doce do Amor. O povo gosta disso”, escreveu uma seguidora.

Casado, Henrique tem uma filha de 1 ano e 11 meses. Como ator, estará em cartaz com a peça 'O amor como revolução', inspirado em livro de sua autoria e coproduzida por Lázaro Ramos, que também foi convidado pela Mangueira. O espetáculo inicia temporada no Teatro Net Bangu no dia 16 de janeiro.

O pastor assume uma postura de igualdade e liberdade. Recentemente ele publicou em seu perfil no Instagram uma foto ao lado de um Pai de Santo, que ilustrou matéria da revista Vogue Brasil. Na legenda ele escreveu: “Respeito, solidariedade, diálogo e combate à intolerância religiosa e ao racismo religioso. Juntos na promoção da paz.”

A foto recebeu quase 500 comentários. A maioria de umbandistas e católicos se dizendo felizes com o posicionamento de Henrique.