Nossa vida está nas mãos de Deus Três meninos foram desafiados a colocar Deus de lado e adorar uma estátua. Era uma estátua enorme de Nabucodonosor e quem não se curvasse diante dela seria jogado em uma fornalha. Toda a população se curvou. Afinal, quem iria desafiar uma autoridade ou correr o risco, a priori, desnecessário.

Talvez eu ou você nos ajoelhássemos e fingiríamos dizendo: “Deus, estou me ajoelhando aqui para não ser morto. Mas eu estou te servindo, fazendo um trabalho bacana. Eu me ajoelhei de mentirinha, porque o meu coração está contigo”.

Mas os meninos tinham caráter, que é o que tem faltado em muita gente hoje em dia, em cristãos e não cristãos.

Eles, então, permaneceram de pé e imóveis. Nabucodonosor era rei do Iraque, na época chamada de Babilônia, soube da desobediência e ficou irado. Como autoridade, ele chamou os meninos e ordenou para que se curvassem diante da estátua se não os jogaria vivos em uma fornalha acesa.

Os meninos se viraram para a maior autoridade mundial da época e disseram: “Rei, queremos deixar muito claro que o senhor pode mandar em muitas coisas, inclusive na gente, mas nossas vidas não estão em suas mãos, elas estão nas mãos do nosso Deus. Se Ele quiser que nós vivamos, nós viveremos. Se ele quiser que a gente morra, nós morreremos. Então, rei, as nossas vidas não estão em suas mãos.”

O rei ficou tão enfurecido, porque foi desafiado na sua autoridade, que pediu para que a fornalha fosse aquecida sete vezes mais que o habitual. E jogou os garotos lá dentro.

A Bíblia registra em Daniel 3 que as pessoas que se aproximaram para jogar os meninos morreram queimadas.

Nabucodonosor estava imponente, pronto para ver os meninos serem fritos naquela fornalha. De repente, ele viu que dentro da fornalha havia um homem a mais. Quatro homens estavam de pé em meio às chamas. Nabucodonosor, então, pede para que eles saiam e faz uma observação belíssima. Ele diz: “E um deles tem a aparência do filho de Deus”. O nome disso na Teologia é “teofania”, que é a aparição do próprio Cristo.

Isso nos mostra que ao nos mantermos firmes em nossos valores, quando não negociamos a nossa fé, mesmo que sejamos jogados numa fornalha, ou em qualquer outra situação extremamente complicada, uma certeza precisamos ter: a nossa vida está nas mãos de Deus.

Jesus entrou na fornalha com Sadraque, Mesaque e Abede-Nego. Jesus quer entrar na fornalha da sua vida. Independentemente da luta a qual você se encontra. Você não está sozinho!

s