Publicidade

Acusados de torturar e matar casal de PMs confessam o crime Os dois suspeitos presos por envolvimento na tortura de um casal de policiais militares em um sítio de Igarapé, na região metropolitana de Belo Horizonte, confessaram participação no crime. Em depoimento que durou cerca de nove horas, eles disseram também que o casal foi torturado depois que os criminosos descobriram que eles eram policiais.

Um dos presos confessou ser o motorista do grupo e o outro assumiu ter feito a abordagem e anunciado o assalto. Outros três suspeitos foram mortos em confronto com a polícia na segunda-feira (6).

De acordo com o delegado da Deoesp (Delegacia Estadual de Operações Especiais), Marcus Vinicius Vieira, o depoimento ajudou a delimitar algumas autorias do crime, mas as investigações continuam.

Ainda de acordo com o delegado, em depoimento, os dois presos também confessaram que viram medalhas e homenagens da Polícia ao coronel Alex de Melo e, ao perceber que se tratava de um PM, decidiram agredir brutalmente o casal.

A Polícia Civil não descarta que mais bandidos tenham participado do crime.

Os advogados dos dois presos disseram que eles tiveram participação mínima no episódio. A defesa de ambos disse que eles estão colaborando com as autoridades. Um deles tem passagem pela polícia por roubo.