Publicidade

Mortes em cachoeira no Sul de Minas alertam para riscos de tromba d´água Três morreram e mais de 50 ficaram ilhadas após uma cabeça d'água atingir uma das cachoeiras do complexo do Parque Ecológico do Paredão, em Guapé, no Sul de Minas Gerais. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o deslocamento de água aconteceu por volta das 15h40 desta quarta-feira (1º).

Militares da corporação, em quatro guarnições, foram deslocados para a região. A Defesa Civil Estadual também foi para o local, conforme informou o coordenador do órgão, Flávio Godinho.

O complexo de cachoeiras fica a 15 quilômetros de distância do Centro de Guapé, cidade próxima à Boa Esperança. Além das ajudas das duas equipes, integrantes do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e da Polícia Militar atuaram no resgate às vítimas.

Os mortos, todos da mesma família, foram identificadas como Émerson Magalhães Couto, Áurea Carvalho Magalhães e Dafne Carvalho de Magalhães Couto. Eles eram de Campos Gerais e estavam na cidade a passeio.

O Corpo de Bombeiros de Belo Horizonte chegou a dizer que outras duas pessoas haviam morrido. No entanto, o secretário de Infraestrutura de Guapé, Antônio Simonedi de Souza, afirmou que apenas três mortes foram registradas e não há desaparecidos. A informação foi também confirmada posteriormente pelos bombeiros.

Vídeos que circulam nas redes sociais mostram que diversos jovens estavam nas cachoeiras quando o volume de água subiu repentinamente. Pouco depois, pais começaram a chegar ao local para procurar por seus filhos.

O período entre outubro e março é considerado a estação chuvosa em grande parte do Brasil. Nestes meses concentra-se a maior parte de chuvas e muitas regiões do país são mais propensas à famosa tromba d’água. Este é um grande perigo para quem estiver em rios bem como em cachoeiras. Confira como identificar e evitar acidentes como o de Guapé.

É importante estar atento a alguns sinais que podem indicar a aproximação de uma tromba d’água e lhe proporcionar algum tempo para salvar, não apenas você, mas também quem mais estiver próximo. São eles:
• Aumento repentino, ainda que pequeno, no volume e na força da água.
• Excesso de detritos como folhas e galhos.
• Alterações na turbidez da água. A água fica turva porque a pressão levanta sedimentos do fundo do rio, bem como retira areia e barro das margens.
• Som alto e diferente, vindo da parte alta do rio (rio acima). Um grande volume de água certamente faz muito barulho. Fique atento a qualquer som atípico.
O que observar ao chegar a um rio ou cachoeira:
• Analise possíveis rotas de fuga e pontos mais altos, caso aconteça uma cabeça d’água. A melhor saída é para locais mais altos em relação ao rio. Sendo assim, observe o ambiente a sua volta sempre que chegar a algum curso d’água. Defina os melhores pontos que consiga chegar em segurança e salvar sua vida e de quem mais estiver por perto.
• Analise as bordas das margens. As “paredes” presentes mostram até onde a água costuma chegar. Detritos presos a galhos de árvores e mato curvado em uma direção também podem indicar possível passagem da água por ali. Dessa forma você tem uma ideia de até onde a água pode chegar. Ainda assim saiba que ela pode subir muito mais desde que haja condições ideais para isso.
• Sempre observe rio acima. Fique sempre atento à direção de onde o rio vem enquanto procura por qualquer alteração no fluxo da água. Em caso de tromba d’água, você conseguirá sair e ainda avisar às demais pessoas.
• Use algum ponto de referência na margem. Marque visualmente uma pedra, galho ou planta para, de tempos em tempos, observar se o volume de água alterou em relação a este ponto.

O que fazer se for atingido por uma tromba d’água?
• Se pego por uma tromba d’água, tente boiar com as pernas na direção para onde o rio corre (rio abaixo) para absorver impactos e desviar-se eventualmente de possíveis obstáculos (pedras, galhos).
• Tente também nadar na diagonal em direção à margem e, ali, se agarrar a algo para sair do curso d’água.

A maior parte das trombas d´água acontecem no verão e é mais propícia em tempestades de fim de tarde. Um céu claro não é garantia de segurança. Uma tempestade pode acontecer na cabeceira do rio, há quilômetros de distância, e mesmo assim chegará onde você estiver. Fique atento e procure sempre ficar próximo à margem do rio ou da cachoeira; evite a parte funda.