A distância e a fé

Mateus 15.21-28



21. E, partindo Jesus dali, foi para as partes de Tiro e de Sidom.

22. E eis que uma mulher cananeia, que saíra daquelas cercanias, clamou, dizendo: Senhor, Filho de Davi, tem misericórdia de mim, que minha filha está miseravelmente endemoninhada.

23. Mas ele não lhe respondeu palavra. E os seus discípulos, chegando ao pé dele, rogaram-lhe, dizendo: Despede-a, que vem gritando atrás de nós.

24. E ele, respondendo, disse: Eu não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel.

25. Então chegou ela, e adorou-o, dizendo: Senhor, socorre-me!

26. Ele, porém, respondendo, disse: Não é bom pegar no pão dos filhos e deitá-lo aos cachorrinhos. 27. E ela disse: Sim, Senhor, mas também os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus senhores.

28. Então respondeu Jesus, e disse-lhe: Ó mulher, grande é a tua fé! Seja isso feito para contigo como tu desejas. E desde aquela hora a sua filha ficou sã.



Apenas em duas passagens observamos Jesus qualificar a fé de pessoas que foram até Ele; neste caso, da Mulher Cananeia, e no caso daquele Centurião que vai até Jesus para buscar algo que queriam. Em ambos os casos eles deixam suas casas e vão até Jesus.



Você saberia dizer se está perto ou longe daquilo que você almeja? Em que pese acentuarmos o valor de quem vai a Jesus por Ele e não pelo o que Ele pode fazer, é claro e evidente que todos nós sempre precisaremos Dele.



Não é a distância do que você quer que determina o resultado, mas a distância que você está de Jesus. Tanto o Centurião como essa mulher vão até Jesus, deixando o problema em casa. Tem gente que se agarra ao problema e se afasta de Jesus.



1. Jesus está em território gentio: Tiro e Sidom. Então, ele sabia que fatalmente seria procurado por gentios.

2. Marcos (7.24-30) também conta essa história. Mas vamos preferir Mateus porque ele vai dar detalhes importantes para compreensão deste episódio.

3. Fato importante em Marcos é o registro de que Jesus buscava privacidade. Mas essa mulher não hesita e vai ao encontro de Jesus. Sidom distava 24 km de Cafarnaum.

4. Os discípulos sugerem que Ele a despeça. Mas Ele ressalta o seu ministério, de “buscar as ovelhas perdidas da Casa de Israel” (Mc 10.5-6)

5. Fé provocada - Jesus estava ensinando ou comendo com os discípulos. Ninguém para uma refeição com seu “filho” para dar migalhas aos cachorrinhos. “...Não é bom dar o pão dos filhos aos cachorrinhos...” A resposta de Jesus é uma provocação à fé daquela mulher.



Sim, a resposta de Jesus é uma provocação à fé daquela mulher. Ir até Jesus, romper o bloqueio dos discípulos e a resistência de Jesus já era uma provação. Agora, ser repreendida por Jesus daquela forma seria o motivo para ela desistir. Mesmo que o termo “cachorrinho” aqui não fosse a conotação que os judeus davam aos gentios como racismo; como animais impuros. Ainda assim a resposta de Jesus foi forte. Mesmo sendo “cachorrinho” um termo para animal de estimação. Ela teve a fé provocada e reagiu muito bem: “até os cachorrinhos comem as migalhas que caem da mesa dos seus senhores.”



“Ó mulher, grande é a tua fé. Seja como tu queres.” A filha ficou curada!



"Nem mesmo em Israel tanta fé eu encontrei.” Mat. 8.5



Essa declaração é dada depois que o Centurião diz que bastaria Jesus dar uma ordem que seu servo seria curado lá onde ele estava.



Esses dois personagens provam que a distância de Jesus é o que determina o resultado. Eu preciso me aproximar cada vez mais Dele.


Mais lidas

Quando aprendemos a depender de Deus

Pr. Humberto Siqueira - Presidente da Convenção Batista Nacional do Rio de Janeiro

Siga-nos

s