Publicidade

Netflix reproduziu Capela Sistina ainda maior para “Dois Papas”

Após polemizar com o especial de Natal do “Porta dos Fundos”, com enredo considerado blasfemo, a Netflix apresenta neste mês de dezembro uma produção que, no mínimo, é um “mimo” para os católicos. “Dois Papas” estreou no canal de streaming no início de deste mês. Dirigido pelo brasileiro Fernando Meirelles (de “Cidade de Deus”e “Ensaio sobre a Cegueira”), o filme é sobre os papas Bento XVI (Anthony Hopkins) e Jorge Mario Bergoglio (Jonathan Pryce), o atual papa Francisco.



O longa retrata uma série de conversas entre os dois membros da Igreja Católica, e tenta imaginar o que teria acontecido meses antes da histórica renúncia de Bento XVI ao posto, em 2013.

O tom das conversas não é único: vai de assuntos delicados dentro do catolicismo até papos mais descontraídos dividindo uma pizza. E alguns diálogos se dão em um dos pontos mais famosos do Vaticano: a Capela Sistina. Ou quase. Acontece que o local, com o icônico teto pintado por Michelangelo, não permite filmagens (salvo algumas poucas exceções de documentários). Na verdade, nem fotografias de turistas são permitidas lá dentro. A solução da Netflix foi simples: construir uma réplica exata da Capela em um estúdio nos arredores de Roma.



A produção levou dez semanas para recriar a estrutura do local. Já as artes foram feitas com uma técnica chamada “tattoo wall”, similar ao procedimento das tatuagens temporárias feitas com água. Afinal, tentar recriar as pinturas de Michelangelo do zero levaria meses.

Os responsáveis pela obra estudaram fotos feitas por empresas responsáveis pela limpeza da capela. Artistas, então, recriaram as pinturas em escala menor. Depois, elas foram aumentadas em um material que foi “colado” na parede - assim como uma tatuagem.

Tudo foi feito sob a supervisão de Enrico Bruschini, um historiador especialista em Vaticano. De acordo com o jornal Los Angeles Times, a Capela “fake” é alguns centímetros maior que a original. Depois das filmagens, ela precisou ser desfeita. Mas boa parte dos que estiveram envolvidos na construção levaram alguns pedaços do set para casa ou para o escritório. Pelo menos, quem aguentou carregar as estruturas para fora do estúdio.

“Dois Papas” apresenta duas visões contrapostas de dogma, vida e fé que se cruzam de forma quase arquetípica no anseio comum por um futuro melhor para a Igreja Católica em crise.



O filme foi indicado a quatro Globos de Ouro, entre eles, os para melhor ator e melhor filme de drama.