Damares Alves repudia assassinato de cristãos Esta semana a agência Amaq, órgão de propaganda do Estado Islâmico, divulgou um vídeo em que mostra a execução de 11 cristãos. Um ato de crueldade e tentativa de intimidação a cristãos no mundo inteiro. O ato criminoso foi reivindicado pela facção nigeriana do grupo jihadista Estado Islâmico, o Iswap, e revoltou Damares Alves, ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

Leia a nota de repúdio:

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) repudia todo tipo de ação violenta e homicídios. Toda forma de violência e assassinato não é, de forma alguma, justificável. Da mesma maneira, este Ministério repudia todo ato de intolerância religiosa.

A agência Amaq, órgão de propaganda do Estado Islâmico, produziu e divulgou nessa quinta-feira (26) um vídeo de 56 minutos, gravado “nas últimas semanas”, onde 11 homens cristãos são executados com o intuito de enviar “uma mensagem para os cristãos do mundo inteiro”. A responsabilidade do ataque é de uma facção nigeriana do grupo jihadista Estado Islâmico, o Iswap.

Segundo a mensagem divulgada, os cristãos foram executados para vingar a morte do líder do grupo, Abu Bakr al-Bagdhadi, e do seu porta-voz, Abul-Hasan Al-Muhajir, durante uma operação norte-americana na Síria em outubro de 2019. Desde essa data, uma série de ataques têm ocorrido em todo o mundo.

Na África, o grupo procura forçar conversões ao islamismo e executa quem se recusa. Os principais alvos têm sido as forças militares e as comunidades cristãs.

Prestamos nossa solidariedade às famílias de cada cristão perseguido, torturado e assassinado por sua fé, bem como a todos aqueles que sofrem danos físicos, emocionais e materiais por motivo de crença. O MMFDH reafirma seu compromisso com a liberdade religiosa e o respeito às diferenças.