Trump recebe oração de líderes religiosos na Casa Branca Pastores e líderes de louvor participaram de um evento de oração pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, no Salão Oval da Casa Branca, no início deste mês. Trump lhes disse que agora precisa mais de oração do que nunca em meio à intensificação da investigação sobre o impeachment no Capitólio.

Cerca de 50 líderes de louvor de toda o país se reuniram para uma reunião de fé organizada por Paula White-Cain, a pastora pessoal do presidente e conselheira especial da Iniciativa de Fé e Oportunidade na Casa Branca.

"Todos os 50 nos amontoamos no Salão Oval. Ele sentou em sua mesa e pediu a oração", disse Sean Feucht, líder de louvor da Bethel Music que está concorrendo ao Congresso no Terceiro Distrito Congressional da Califórnia.

"Nós apenas colocamos nossas mãos sobre ele e oramos. Foi uma oração intensa. Foi tão fervoroso", disse Feucht. "Eu não podia acreditar que ele nos convidou. Que ele arranjou tempo para se encontrar conosco."

O líder do culto, que viajou como missionário para países onde o cristianismo é mais perseguido, chamou de "histórico", tendo muitos líderes de culto convidados pelo presidente para o Salão Oval.

Trump surpreendeu o grupo na sala do gabinete, onde Brian Houston, o pastor sênior global da Hillsong Church, compartilhou sobre a reunião baseada na fé.

"Quando a América é forte, o mundo é um lugar melhor", disse o líder cristão da Austrália. "Que grande oportunidade tem sido ver algumas das iniciativas que estão acontecendo para ajudar a liberdade de religião".

O vice-presidente Pence abriu a reunião de fé, discutindo o trabalho do governo com relação à liberdade religiosa e à Primeira Emenda.

"Parada maravilhosa por uma reunião de líderes de louvor hoje na Casa Branca!" Pence escreveu no Twitter. "A América é uma nação orgulhosa de crentes e nossa administração sempre defenderá a liberdade religiosa de todo americano, de toda fé!"

Ivanka Trump, filha do presidente, discutiu os direitos das mulheres, a reforma das prisões, a licença de maternidade e a economia. Sam Brownback, Embaixador da Liberdade Religiosa Internacional, se dirigiu ao grupo e respondeu a perguntas sobre o que os Estados Unidos estão fazendo pela liberdade religiosa em todo o mundo.

Quando Trump os surpreendeu na sala do gabinete, ele os recebeu e brincou sobre a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, orando por ele.

"Nancy Pelosi diz que ora por mim, mas não diz a ninguém pelo que ora", disse ele. "Mas eu sei que vocês vieram orar por mim e sei que você se importa com o que está acontecendo nesta administração."

Feucht disse: "Apertei a mão dele e disse 'Sr. Presidente, sou da Califórnia e só quero que você saiba que há pessoas na Califórnia que o apoiam".