Cristãos da Faixa de Gaza são proibidos de visitar lugares considerados sagrados na Cisjordânia Acostumados a visitar locais considerados sagrados como Jerusalém e Nazaré durante o Natal, este ano os cristãos da Faixa de Gaza não poderão ir a estas regiões na Cisjordânia.

A proibição foi determinada por autoridades israelenses por questões de segurança, segundo informou uma porta-voz do serviço de contato militar entre Israel e as autoridades palestinas. Ela afirmou que permissões serão dadas àqueles que desejarem viajar ao exterior, mas não a cidades em Israel e na Cisjordânia. O governo israelense controla de perto os movimentos dos cerca de dois milhões de moradores de Gaza, área administrada pelo grupo islâmico Hamas, considerado terrorista por dezenas de países.

Apesar de não existir qualquer prova de ligações entre os cristãos e o Hamas, muitos deles relatam dificuldades na hora de obter passes para visitar locais sagrados ou mesmo para ver suas famílias fora do território.

Belém, na Cisjordânia ocupada por Israel, geralmente fica agitada antes do Natal em 25 de dezembro, com turistas e peregrinos reunindo-se na cidade bíblica. Os cristãos representam cerca de 1% da população palestina na Cisjordânia, Faixa de Gaza e Jerusalém Oriental.