Publicidade

INSS promete prova de vida por biometria em 2020 Os segurados do INSS têm bons motivos para comemorar. Este ano houve redução do tempo de espera pelos benefícios, e a digitalização dos requerimentos de aposentadorias, pensões e auxílios. Para 2020, o instituto pretende implantar de forma definitiva a prova de vida por biometria, que é feita através da impressão digital do beneficiário, no aplicativo Meu INSS.

A ideia é que essa ferramenta já esteja disponível no primeiro semestre, o que vai permitir aos 35 milhões de beneficiários realizar a prova de vida sem sair de casa, pelo celular.

Outra novidade que o INSS vem estudando é a concessão, por vias administrativas, de entendimentos consolidados na Justiça a favor dos segurados. Ou seja, quando houver jurisprudência acerca de uma regra que, a princípio, não estiver de acordo com as normas do instituto, o cidadão não precisará mais entrar na Justiça para ter direito a essa aplicação.

Segundo o presidente do INSS, Renato Vieira, somente no ano de 2019 foram 6 mil aposentadorias de servidores do instituto. Nos últimos quatro anos, esse número sobe para 11 mil. E, mesmo assim, em 2019 foi atingida a maior produtividade da história do INSS. Em dezembro, Renato Vieira Lembra que o INSS atingiu 59 dias de tempo médio de espera para a concessão de benefícios previdenciários.

Atualmente, segurados do INSS que recebem por meio de conta-corrente, conta poupança ou cartão magnético, devem comprovar, anualmente, que estão vivos. Isso serve para dar mais segurança ao cidadão e ao Estado brasileiro, pois evita fraudes e pagamentos indevidos de benefícios.

O passo a passo para agendar prova de vida domiciliar ou hospitalar pelo Meu INSS é: no aplicativo ou pelo site, após realizar o login com o CPF e senha pessoal, o beneficiário deve clicar na opção ‘Agendamentos/Requerimentos’, em seguida clicar em ‘Novo Requerimento’ e digitar na busca prova de vida: o resultado mostrará a opção ‘Realizar Prova de Vida (situação excepcional – atendimento presencial’ e escolher a opção mais adequada, dificuldade de locomoção ou maior de 80 anos.