Juiz federal quer processar Netflix

O juiz federal William Douglas entrou na fila dos desafetos do canal Porta dos Fundos. Ele afirmou em suas redes sociais que deseja processar o serviço de streaming Netflix pelo filme do grupo ‘A Primeira Tentação de Cristo’ que - em suas palavras - ofende o sentimento religioso.



“Escolher a principal data do calendário cristão para nos ofender é uma vergonha”, escreveu o magistrado. “Não vou cancelar a assinatura da Netflix; pretendo processar a empresa por ofensa ao sentimento religioso. Se ofende minha crença ou a de outrem, me ofende também. E vamos usar a lei. Viva o respeito ao próximo!”



Em seu perfil no Instagram, Douglas pede para que seus mais de 220 mil seguidores assinem o abaixo-assinado para a remoção do filme ‘A Primeira Tentação de Cristo’ do catálogo.



O abaixo-assinado que pede pela remoção do especial de Natal do catálogo da Netflix já tem cerca de 2 milhões de assinaturas. A petição também pede para que o grupo Porta dos Fundos seja responsabilizado por blasfêmia.



Em resposta às críticas e ao abaixo-assinado pela retirada do filme, o ator e apresentador Fábio Porchat disse que tudo só ajuda a colocar o filme em evidência e, apesar de ser ateu, concluiu que “depois ele se entende com Deus”.