Após atacar eleitores de Bolsonaro, presidente da OAB rebate Moro O presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Felipe Santa Cruz, rebateu Sergio Moro. Ele disse que o ministro da Justiça e Segurança Pública só aceita conversar com quem ele concorda. 

As declarações, dadas em entrevista ao UOL, são uma resposta a Moro que afirmou que não iria receber o presidente da OAB enquanto este, segundo ele, mantiver uma postura de "militante político-partidário".

"Sou militante, mesmo. Sou militante de Direitos Humanos, das causas das mulheres, dos negros, e tenho muito orgulho disso. Por isso, eles não gostam de mim. Não deixarei de ser militante dessas causas, não sou obrigado. Esse é o papel da OAB", disse Felipe Santa Cruz.

Santa Cruz afirmou que a entidade nunca foi recebida por Moro, apesar de ter pedido oficialmente duas vezes.

Moro endossou o ataque após um entrevista de Santa Cruz em que ele afirma que apoiadores de Bolsonaro têm "desvio de caráter". Moro disse que só atenderia Santa Cruz se este retirasse o que classificou como "ofensa".

Santa Cruz enfatizou que não se referiu a todos eleitores de Bolsonaro, mas aos que o elegeram por concordar com os seus ataques às minorias e reforçou que não pretende se retratar.

O ministro-chefe do Gabinete da Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, general Augusto Heleno, classificou com inacreditáveis as ofensas divulgadas pelo presidente da OAB.

“Projetou no Presidente da República e em seus 58 milhões de eleitores seus próprios recalques e defeitos: desvio de caráter, sentimentos de extremista de esquerda e fobias mal curadas. Lamentável e desprezível”, tuitou o general.