Publicidade

Pezão deixa presídio sem ser visto O ex-governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, saiu do Batalhão Especial Prisional, em Niterói, na região metropolitana do Rio, na noite desta quarta-feira (11). A prisão foi revogada na terça (10), mas a Polícia Militar, responsável pelo presídio, informou que não tinha sido comunicada oficialmente da decisão para realizar a soltura no mesmo dia.

Pezão deixou o BEP sem ser visto acompanhado da mulher, Maria Lúcia Cautiero Horta Jardim. A saída aconteceu por uma entrada localizada na parte de trás do batalhão, “por questões de segurança”, conforme afirmou uma assessora que integrou a equipe dele no governo do estado. A defesa informou que da prisão Pezão seguiu para a casa dele em Piraí, no Sul Fluminense.

Pezão conseguiu driblar os populares que durante todo o dia se revezaram na entrada do batalhão para protestar contra a soltura do ex-governador. Ao longo desta quarta-feira, foi possível ouvir gritos de “ladrão” e buzina de motoristas que também fizeram questão de se manifestar contra a decisão do STJ favorável a Pezão.

Preso desde o dia 29 de novembro de 2018, o ex-governador terá que cumprir medidas cautelares. Entre elas estão o comparecimento em juízo, monitoramento eletrônico, não se ausentar do Estado, e não manter contato com outros réus.

Pezão foi preso em 29 novembro de 2018 durante a operação Boca de Lobo. De acordo com as investigações, o governador recebia mesada de R$ 150 mil quando era vice de Cabral, entre 2007 e 2014. O delator ainda detalhou o pagamento de 13º de propina e de bônus ao político. A Procuradoria Geral da República alega que Pezão recebeu mais de R$ 25 milhões, em espécie, entre 2007 e 2015 em propina.