Força-tarefa cobra R$ 550 milhões na Justiça de grandes desmatadores da Amazônia A Força-Tarefa em Defesa da Amazônia, criada pela AGU, Advocacia-Geral da União, cobra cerca de R$ 550 milhões de grandes desmatadores de florestas em Rondônia, Mato Grosso, Pará e Amazonas.

Esta semana, foram ajuizadas 16 ações civis públicas contra 33 réus, a partir de autos de infração do IBAMA. Os acusados teriam desmatado mais de 26 mil hectares na região amazônica.

O objetivo da Força Tarefa é obrigar a reparação e o reflorestamento das áreas devastadas. Além disso, a AGU pede indenização pelos prejuízos ao meio ambiente e à sociedade.

As ações buscam ainda o ressarcimento dos benefícios econômicos obtidos de forma ilícita com o desmatamento, como atividades de pecuária e a exploração ilegal da madeira.

A Força Tarefa em Defesa da Amazônia foi criada em setembro, e é formada por 20 integrantes da Procuradoria-Geral Federal e da Procuradoria-Geral da União. Ela já havia ingressado com ações para cobrar multas administrativas emitidas pelos órgãos ambientais.