Publicidade

Cristianismo ameaçado no Iraque Enquanto o grupo terrorista do Estado Islâmico foi expulso de sua última fortaleza no Iraque no início deste ano, estruturas religiosas e casas pertencentes a famílias cristãs foram destruídas e milhares de pessoas não retornaram.

Durante um discurso em Londres, o Reverendo Bashar Warda disse que a população cristã do Iraque caiu para apenas 250 mil – uma queda de 83% na população desde a invasão do Iraque pelos Estados Unidos, de acordo com a BBC .

“O cristianismo no Iraque está “perto da extinção” e os que permanecerem podem enfrentar o martírio, mas alguns líderes cristãos na Grã-Bretanha se recusam a condenar as atrocidades perpetradas por extremistas muçulmanos por medo de serem acusados de ‘islamofobia’”, disse o Arcebispo de Irbil.

O arcebispo, que tem sido sincero sobre a situação dos cristãos em seu país, também disse que os líderes cristãos da Grã-Bretanha estão tão preocupados com a “correção política” que se recusam a falar contra as atrocidades cometidas contra os cristãos no Iraque pelas mãos de extremistas muçulmanos.

A BBC observa que as perspectivas para os cristãos “permanecem sombrias” no Iraque, uma vez que as tensões entre muçulmanos sunitas e xiitas persistem e ainda há combatentes do Estado Islâmico escondidos em algumas partes do país.

O Iraque ocupa o 13º lugar na lista “Perseguição dos EUA 2019”, que apresenta os 50 países do mundo onde os cristãos enfrentam a mais extrema perseguição por sua fé.