Para ministro da Educação, baixo desempenho dos estudantes brasileiros reflete fracasso do PT

Os casos de bullying, indisciplina e solidão dentro das escolas do Brasil ocorrem em percentuais acima da média internacional, de acordo com o Programa Internacional de Avaliação de Estudantes, o Pisa. Para a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico, o ambiente pouco receptivo afeta o desempenho dos estudantes.



Os resultados do Pisa 2018 do Brasil apontam que 68% dos estudantes não sabem o básico de matemática; 50,1% apresentam baixo desempenho em leitura e 55,3%, baixo desempenho em ciência.



O documento aponta que as escolas não são apenas locais onde se aprende conteúdo, mas também espaços de desenvolvimento social e emocional.



Para alguns, o fraco desempenho dos estudantes no ano passado se deve ao método Paulo Freire aplicado até então nas escolas.



Os resultados mostram que o desempenho dos estudantes brasileiros está estagnado desde 2009. O Brasil aparece entre as 20 piores colocações no ranking internacional. Ao todo, foram analisados 79 países e territórios.



"[É] integralmente culpa do PT, integralmente culpa dessa doutrinação esquerdófila e sem ensino", disse o ministro da Educação, Abraham Weintraub, em entrevista a jornalistas.



Para o ministro, "o símbolo máximo do fracasso do PT começou quando foi construída a lápide da educação, lá na frente do MEC, que é um mural do Paulo Freire. Representa esse fracasso total e absoluto".



O Pisa começou a ser aplicado em 2000, quando o presidente ainda era Fernando Henrique Cardoso (PSDB). De fato, entre 2003 e 2016, a prova monitorou os governos do PT, durante os mandatos de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. Entre 2016 e 2018, monitorou o governo Temer.