Novo presidente da Funarte associa rock ao satanismo A mídia resgatou hoje um vídeo antigo no canal do Youtube do novo presidente da Funarte, Dante Mantovani. Nele, o maestro, aluno do professor Olavo de Carvalho , endossa teorias de que agentes comunistas infiltrados na CIA foram responsáveis por distribuir LSD para jovens em Woodstock. O objetivo final, diz ele, seria destruir a família, vista como "base" do capitalismo.

O canal de Dante Mantovani tem mais de 6 mil inscritos. Nele, o novo integrante do governo Bolsonaro também costuma tirar dúvidas sobre música erudita.

"Existe toda uma infiltração de serviços de inteligência dentro da indústria fonográfica norte-americana que, se não levarmos em conta, não vamos entender nada. A União Soviética mandou agentes infiltrados para os Estados Unidos para realizar experimentos com certos discos realizados para crianças. Esses agentes iam, se infiltravam e iam mudando, inserindo certos elementos para fazer engenharia social com crianças. Daí passaram para música para adolescentes", afirma ele, ao citar como exemplo o surgimento de Elvis Presley na década de 1950.

Na sequência, Mantovani menciona Woodstock e diz que os Beatles "colocaram em prática as ideias da Escola de Frankfurt", que segundo ele, queria destruir a cultura ocidental.

"Woodstock foi aquele festival da década de 60 que juntou um monte de gente, os hippies fazendo uso de drogas, LSD, inclusive existem certos indícios de que a distribuição em larga escala de LSD foi feita pela CIA. Mas como pela CIA? Tinha infiltrados do serviço soviético lá", diz o maestro, para em seguida concluir:

“O rock ativa a droga que ativa o sexo que ativa a indústria do aborto. A indústria do aborto por sua vez alimenta uma coisa muito mais pesada que é o satanismo. O próprio John Lennon disse que fez um pacto com o diabo.”

Mantovani é maestro e doutor em música pela Universidade Estadual em Londrina. Ele produziu o curta-metragem amador "Deus acima de todos", sobre a eleição de Jair Bolsonaro e a fé de seus seguidores. O filme narra a corrida presidencial com depoimentos de apoiadores do político.