Perdoei, mas não quero conviver Uma das coisas mais difíceis que existe para o ser humano é perdoar, até porque geralmente sempre achamos que estamos certos. Então dentro da nossa ótica, estamos certos com a mulher, com o filho. E por que pedir se estamos corretos em nossas ações? Perdoar é difícil.

Deus leva muito a sério o perdão. Ele leva tão a sério que o próprio Cristo fala nos Evangelhos que, se você está vindo ao altar trazer a sua adoração e tem alguma coisa contra o seu irmão, larga aquilo que você veio trazer para a sua adoração ao Senhor ou sacrifício, seja lá o que for, e vá ter com seu irmão, reconcilia-te com ele e depois você volta.

Isso nos faz entender que às vezes quando estamos com pendências no coração, Deus talvez não receba toda a nossa adoração, podemos até pensar assim. Então perdoar é difícil e às vezes as pessoas entram em crise.

"Eu pedi perdão a Deus, mas não pedi perdão à pessoa". Como que funciona isso? Você quer estar bem com Deus, mas não quer estar bem com o próximo? Você precisa pedir perdão a Deus e também precisa pedir perdão à pessoa.

Aí você diz que pediu perdão a Deus e à pessoa, mas não é obrigado a conviver com ela. Não, você não é obrigado a conviver com essa pessoa. Conviver que eu digo é conviver socialmente. Muitas vezes é um parente com quem você saía para comer uma pizza, ir ao cinema, e agora a amizade não é mais a mesma. Ficaram algumas cicatrizes. Mas existe o respeito, existe a solidariedade. Isso são coisas fundamentais.

O perdão é crucial na vida de quem tem Jesus e no seu relacionamento com Ele. Mas e a questão de você ser o melhor amigo ou voltar a ser o melhor amigo, se existem marcas e cicatrizes? Deus é maneiro e Ele vai estar com você. O importante é você estar em dia com a pessoa, pedindo perdão a ela, pedindo perdão a Deus e, quem sabe, Deus pode até fazer com que você volte a ter seu melhor amigo. Mas não é obrigatório.

s