Governo limita juros do cheque especial a 8% ao mês Modalidade de crédito que aumenta uma dívida em quatro vezes em um ano, o cheque especial vai ter juros limitados. Isso foi o que decidiu o Conselho Monetário Nacional (CMN) nesta quarta-feira.

A partir de 6 de janeiro, os bancos não vão poder cobrar taxas maiores do que 8% ao mês, contra 12% atualmente.

Para financiar em parte a queda dos juros do cheque especial, o Conselho Monetário autorizou os bancos a cobrar tarifa de quem tem limites mais altos.

Segundo o Banco Central (BC), responsável pela divulgação, a medida é para tornar o produto mais "regressivo", ou seja, penalizar menos os pobres, já que o produto é mais utilizado por clientes de menor poder aquisitivo e educação financeira.

Em outubro, conforme dados divulgados nesta quarta pelo BC, o juro médio do cheque ficou em 305,9% ao ano. Com a mudança, os juros cairão praticamente pela metade, a 150% ao ano, segundo o diretor de Organização do Sistema Financeiro e Resolução do Banco Central, João Manoel Pinho de Mello.