Publicidade

Corpo de Bombeiros do RJ apura discriminação contra Cacau Protásio O Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro vai abrir procedimento interno para apurar atos discriminatórios de integrantes da corporação contra a atriz Cacau Protásio.

Cacau chorou ao usar as redes sociais para falar sobre o ato de racismo e gordofobia do qual foi vítima. O caso aconteceu durante as gravações do filme Juntos e Enrolados, no Quartel-Central do Corpo de Bombeiros, no Centro do Rio.

Em uma das cenas, Cacau e os bailarinos usam a farda da corporação durante uma apresentação de dança. No filme, o momento é, na verdade, o sonho de um dos comandantes.

Um sargento que estava nos bastidores gravou um vídeo da representação dos artistas, dizendo as seguintes ofensas: “Olha a vergonha no pátio do quartel central. Essa mulher do Vai que Cola, aquela gorda, colocou a farda e botou os dançarinos v*** com roupa de bombeiro. Isso é um esculacho, rapaz. Qual é a desse comandante? Vai deixar uma p*** dessas no pátio do quartel?”. O registro, divulgado pelo colunista Leo Dias, do Uol, foi enviado a um grupo de Whatsapp.

Um outro bombeiro também teria ofendido a atriz e os bailarinos e o áudio viralizou no aplicativo de mensagem.

”Vergonhoso. Mete aquela gorda, preta, numa farda de bombeiro, uma bucha de canhão daquela, com um monte de bailarino v***, quebrando até o chão. Vão achar que é o que? Bombeiro? Aquilo é tudo v***. Lamentável”, disse.

Em vídeo, a atriz falou sobre a sua etnia e profissão. “Eu sou negra, sou gorda, sou brasileira, sou atriz. Conto história. Eu não mereço ser agredida. […] Sei que sou uma pessoa forte, mas ouvir tudo isso de um ser humano é triste. […] E como uma pessoa que veste uma farda tão linda tem essa postura”, questionou Cacau.

Em nota, o Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro disse que "não compactua com qualquer ato discriminatório". A seguir o comunicado da corporação:

"O Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ) informa que não compactua com qualquer ato discriminatório. A corporação se solidariza com a atriz Cacau Protásio e já abriu procedimento interno para identificar o(s) militar(es) e apurar a conduta.

O CBMERJ reforça o seu compromisso com a população de Vida Alheia e Riquezas Salvar independente de cor, gênero, raça ou qualquer outra distinção. Os atos divulgados não representam a corporação centenária que, por anos seguidos, é considerada a instituição mais confiável do Brasil".