Professor é afastado após pedir redação sobre sexo explícito a alunos de 12 anos Um professor de português da rede pública do Distrito Federal foi afastado após usar expressões de sexo explícito em aula com alunos de 12 anos, do 6º ano do Centro de Ensino Fundamental (CEF) 104, da Asa Norte.

O educador pediu para que os estudantes elaborassem uma redação sobre "sexo oral e anal". Ele usou o quadro para escrever as palavras que foram fotografadas e denunciadas pelas crianças.

A Secretaria de Educação do DF informou que o professor Wendel Santana, de 25 anos, tinha contrato temporário até dezembro, mas que por conta do incidente decidiu afastá-lo.

O professor reconheceu que escreveu expressões de conotação sexual no quadro da escola e disse que a ideia era mostrar a diferença entre maneiras formais e informais de falar sobre sexo.

O diretor do colégio e, pelo menos, cinco famílias registraram queixa contra o professor na Polícia Civil.

O professor se defendeu dizendo que "não recebeu treinamento adequado". Segundo ele, não houve qualquer instrução por parte da escola e o que propôs foi um exercício de linguagem.

A Secretaria de Educação do Distrito Federal disse que “as autoridades policiais já foram comunicadas pela direção da escola e os estudantes receberão o devido apoio do Serviço de Orientação Educacional".