Manifesto pelo impeachment de Gilmar Mendes cresce nas ruas e nas redes sociais Milhares de brasileiros foram às ruas neste domingo (17) para pedir impeachment do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes. A hashtag #BrasilContraGilmarMendes chegou ao trending topic do Twitter e foi o assunto mais comentado na rede em todo o mundo na manhã desta segunda-feira (18), com mais de 215 mil tweets.

Entre os grupos que se mobilizaram para organizar as manifestações está o Nas Ruas, ligado à deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP). A própria deputada usou suas redes sociais para convocar mais simpatizantes a aderirem aos atos.

Os protestos foram convocados após decisão da Corte que derrubou a possibilidade de prisão de condenados em segunda instância, o que permitiu a libertação do ex-presidente Lula da Silva (PT).

Além dos slogans “Gilmar Mendes vai cair” e “Fora, Gilmar Mendes”, o juiz do STF foi chamado constantemente de “inimigo número um do Brasil”.

No ato realizado na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, um boneco inflável gigante de Lula com os dizeres “cafetão de Gilmar” também marcou presença no evento.

O movimento pelo impeachment de Gilmar Mendes cresce a cada novo ataque do ministro do STF contra o ministro da Justiça, Sérgio Moro.

Gilmar Mendes afirmou que espera julgar ainda neste ano o recurso da defesa do ex-presidente Lula da Silva (PT) contra as condenações impostas na Lava Jato pelo então juiz federal Sergio Moro.

Em entrevista ao jornal argentino Clarín, neste domingo, Gilmar afirmou que os ministros deverão analisar se será possível utilizar as conversas hackeadas divulgadas pelo site The Intercept Brasil.

Na entrevista, Gilmar diz que Moro colocou sua atuação sob questionamento ao aceitar o cargo de ministro da Justiça no governo do presidente da República, Jair Bolsonaro.