Pesquisadores relacionam série de TV a aumento de suicídios Em um novo estudo sobre “13 Reasons Why”, série da Netflix que mostra a vida de uma estudante do Ensino Médio que se suicida, revela que o número de jovens que tiraram a própria vida nos Estados Unidos aumentou de forma significativa.

O estudo foi publicado há uma semana, na revista Jama Psychiaty, e afirma que houve um aumento de 13% nos suicídios de jovens de 10 a 19 anos, entre abril e junho de 2017, meses posteriores ao lançamento de “ 13 Reasons Why ”, sendo a maior parte mulheres.

Esse levantamento foi realizado por uma equipe do Centro de Saúde Pública da Universidade de Medicina de Viena, e usou dados de suicídio dos Centros de Controle de Doenças (CD) dos Estados Unidos.

A equipe analisou os suicídios de 1999 a 2017, a fim de estabelecer um modelo a partir de variações como as sazonais com seus picos conhecidos de suicídios adolescentes. Como a Netflix não divulga seus dados de audiência, os pesquisadores fizeram uma estimativa da popularidade da série por meio de publicações nas redes sociais.

Lançada em 31 de março de 2017, a série gerou cerca de 11 milhões de tuítes nas primeiras três semanas, mas depois disso houve uma redução de interesse. “Pela diminuição da atenção nas redes sociais depois de junho de 2017, estabelecemos o período de exposição como de abril a junho”, escreveram os pesquisadores.

De acordo com o modelo, esse aumento estimado em 13,3% nas mortes corresponde a 94 suicídios a mais para essa faixa etária do que caberia se esperar nesse período.

No entanto, os autores advertiram que a dependência da pesquisa de estimativas baseadas em medidas aproximadas era uma limitação, ressaltando que “não foi possível comprovar se os que representaram o número excedente de suicídios havia realmente assistido ao seriado”.

Essa pesquisa analisou os números de janeiro de 2013 e dezembro de 2017, nove meses após a estreia da série.