Hillsong United põe o Rio pra adorar

O público carioca passou a véspera de feriadão em boa companhia. Pelo menos os que ignoraram a previsão de chuvas fortes e foram até o Km de Vantagens, na Barra da Tijuca, para curtir o som da banda australiana Hillsong United. De cara, Fernandinho fez as honras da casa abrindo a noite em alto nível.



Para um dia comum já era suficiente ouvir Galileu, mas o público sabia que a noite estava só começando. Após 6 anos, o ministério de louvor para jovens da Hillsong Church voltou ao Rio para emocionar seus fãs com antigos, porém sempre atuais sucessos. E mostrar através das novas canções a longa estrada que ainda podem percorrer. 



Sob uma atmosfera preparada por um grande aparato de iluminação, lazer e papel picado o público cantou o tempo todo músicas como Ocean, Behold, Touch de Sky e tantas outras. 



Apesar de alguns integrantes arriscarem algumas palavras em português, todas as músicas foram legendas, em português e em inglês, no fundo do palco e em dois telões laterais. Os momentos de ministração contaram com um tradutor. Detalhes que mostram o quanto a Hillsong se preocupa em transmitir o Evangelho, praticando a inclusão.



Uma superprodução, mas também com momentos clichês comuns a qualquer grande banda, como segurar a bandeira do Brasil e invasão de fã ao palco. Detalhes que fazem de Joel Houston, Taya Smith e companhia ainda mais queridinhos de um público já habituado a cantar versões de suas músicas.



São inúmeros os artistas nacionais que já regravaram versões em português da banda australiana. E uma das mais tocadas em todos os tempos, regravada inclusive por Aline Barros, é Take it All. 



Foi com este supersom que a Hillsong United encerrou sua apresentação e o público, extasiado, pode enfim dizer: “sextou”!