Igreja vandalizada com grafite satânico após pastor protestar contra histórias de Drag Queen Uma igreja na Califórnia foi vandalizada depois que seu pastor e membros protestaram contra a decisão de uma biblioteca de sediar o programa que conta histórias de Drag Queens. A polícia agora está investigando o ataque como um crime de ódio.

A Igreja Pentecostal de South Bay, em Chula Vista, criticou abertamente a Biblioteca Pública de Chula Vista por abrigar um evento em que as drag queens leem para as crianças.

No fim de semana, dois suspeitos vandalizaram o prédio da igreja, com grafites: "Lúcifer", "Satanás" e "rei do inferno".

O pastor executivo Amado Huizar disse ao canal de notícias KGTV, canal 10, que "sem dúvida" sua igreja foi alvo de uma campanha contra o evento da drag queen.

“Certamente, em todos os cantos havia frases, palavras odiosas e pichações nas paredes de nossa igreja”, disse Huizar. "Estou com o coração partido, mas vou continuar falando."

Huizar reiterou sua oposição, dizendo à KGTV que achava que o evento de drag queen não era apropriado para a idade e não deveria ser realizado em um local apoiado pelos contribuintes.

"Se as pessoas querem que isso aconteça, faça-o em um ambiente privado, em uma livraria ou em uma casa, mas não na Biblioteca Pública de Chula Vista", continuou ele.

"Quando você faz algo como uma ‘Hora da História da Drag Queen’, está excluindo um segmento da população que não é a favor disso por causa do que experimentamos hoje. "

O grupo de defesa socialmente conservador Mass Resistance denunciou o vandalismo.

"Como todos vimos, os ativistas raivosos e descontrolados pró-LGBT acreditam que nenhuma lei ou regra de decoro os impede de assediar, intimidar e destruir qualquer pessoa que discorde de sua agenda", disse o grupo.

A prefeita de Chula Vista, Mary Salas, se reuniu com críticos do evento, mas disse que a “Hora da História da Drag Queen’ continuará como programado. "Não há nada obrigando alguém a trazer crianças para cá", disse ela.

No Texas, dois homens acusados de agredir sexualmente uma criança foram autorizados a ler para crianças em uma biblioteca em Houston no ano passado, como parte do evento “Hora da História da Drag Queen”.